Transportes Bloco apresenta proposta para reduzir portagens das motas

Bloco apresenta proposta para reduzir portagens das motas

O Bloco de Esquerda entregou no Parlamento um projecto de resolução com vista à criação de uma classe específica de portagens para motociclos, de valor equivalente a metade da dos automóveis ligeiros.
Bloco apresenta proposta para reduzir portagens das motas
Bruno simão
Maria João Babo 13 de outubro de 2017 às 16:10

O Bloco de Esquerda apresentou um projecto de resolução no sentido de que a Assembleia da República recomende ao Governo que crie uma nova classe de veículos para aplicação das tarifas de portagens excusivamente para motociclos.

A proposta dos bloquistas é que essa tarifa de portagens seja equivalente a 50% do valor correspondente à classe 1, ou seja, metade do que paga um automóvel ligeiro.

O Bloco justifica que "os motociclos têm um peso bastante inferior ao dos veículos comuns que integram a classe 1 e uma superfície de contacto com a via também menor, o que resulta numa acção de desgaste da estrada bastante inferior".

O partido sublinha ainda que a utilização de motociclos, em comparação com os restantes veículos da classe 1, "tem benefícios quanto à redução da emissão de gases poluentes, pois consomem uma menor quantidade de combustível, e à fluidez do trânsito, pois ocupa menos de metade da via de rodagem, quer nas auto-estradas quer em todo o território que estas servem".

Em seu entender, justifica-se "acabar com a desproporcionalidade que a actual divisão por classes de veículos impõe", quer entre veículos, quer entre regimes de pagamento, quer entre auto-estradas.

Entre veículos, refere, "pois é injusto que motociclos e restantes veículos paguem o mesmo quando provocam desgastes diferentes nas vias".

Entre regimes de pagamento, acrescenta, "pois é injusto que exista um 'desconto' apenas para motociclistas que sejam clientes da Via Verde e não para todos".

Entre auto-estradas, conclui, "pois é injusto que o desconto não se aplique também para que circule nas ex-SCUT ou na ponte Vasco da Gama".

No projecto de resolução, o Bloco recorda ainda que a antiga reivindicação de uma revisão da classificação de veículos não está a ser cumprida, sublinhando ser "necessário que se legisle no sentido de ciar uma classe específica para os motociclos que corresponda a uma taxa de portagem proporcionalmente menor".

O partido lembra também que já foi aprovada resolução da Assembleia da República, sem consequências, que recomendou ao Governo que iniciasse um processo de estudo que possa conduzir à criação de uma "classe 5" para motociclos. E que a Comissão Nacional de Protecção de Dados emitiu já um parecer defendendo que nenhum cidadão pode ser discriminado por ser ou não cliente da Via Verde.

A iniciativa do grupo parlamentar bloquista vem na sequência da apreciação na Assembleia da República de uma petição subscrita por 5.983 cidadãos nesse sentido, a qual mereceu dos diferentes partidos o reconhecimento da pertinência de criar essa classe específica de portagens.

 




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Os moralistas da hipocrisia 13.10.2017

A mortágua a fazer uma lei para ela própria, andar de mota sem pagar.
Os restantes Tugas que paguem para sustentar estes parasitas...

Dono dos Burros 13.10.2017

A Mortágua ganha mal, precisa de descontos.

Antonio Ribeiro 13.10.2017

Não me importo que não paguem portagens. O que é uma vergonha é o ruído insuportável e ilegal que alguns motociclos fazem. Dá muito trabalho e pouco rendimento às Autoridades fiscalizarem esses selvagens. O que dá rendimento são os radares ......

Amilcar Alho 13.10.2017

Deviam estar preocupados é com o ruído insuportável que algumas motos fazem, a qualquer hora da noite. Deixou de haver fiscalização para esses energúmenos. O que dá é passar multas abusivas aos automóveis com base em radares.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub