Banca & Finanças Bloco diz que CGD foi usada para jogos de poder de grupos económicos

Bloco diz que CGD foi usada para jogos de poder de grupos económicos

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, acusou, na sexta-feira, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) de ter "durante anos" dado crédito a "uns poucos grupos económicos e uns poucos milionários que nunca pagaram o que devem".
Bloco diz que CGD foi usada para jogos de poder de grupos económicos
Miguel Baltazar
Lusa 11 de março de 2017 às 11:54

"Durante anos, a CGD deu crédito a uns poucos grupos económicos e uns poucos milionários deste país que nunca pagaram o que devem (…). Os grupos económicos usaram a Caixa para os seus jogos de poder e nunca pagaram o que deviam", afirmou.

 

Em Braga, numa sessão pública sobre a precariedade laboral no Estado, Catarina Martins comentava assim o prejuízo histórico de 1.859 milhões de euros da CGD em 2016, mais de dez vezes superior aos resultados negativos de 171,5 milhões registados em 2015.

 

Para Catarina Martins, a CGD "já estava com dificuldades há muitos anos", mas o anterior Governo "quis esconder o buraco financeiro" do banco público.

 

A líder do Bloco de Esquerda disse que foi precisamente porque o anterior Governo queria esconder esse buraco que o anterior administrador da CGD Nogueira Leite se demitiu, em 2012. "Temos vivido num país em que, ao mesmo tempo que se escondem buracos financeiros daqueles que ficaram sempre com muito mais do que é a sua parte, se vem impondo os maiores sacrifícios e a maior precariedade a quem trabalha", criticou.

 

Daqui para a frente, e em relação à Caixa, o Bloco vai exigir a "responsabilidade de quem fez o buraco financeiro" e pugnar para que a CGD trabalhe "com toda a transparência" e invista o dinheiro na economia que cria emprego.

 


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 11.03.2017

Que conclusão tão óbvia! O que os Portugueses estão fartos do circo mediático que fazem à volta de tudo sem se apurarem responsabilidades.Como é que a justiça não consigue apurar quem são os responsáveis pelos desvios do dinheiro ao longo dos anos? Este país vai à falência com tantos incompetentes!!

Anónimo 11.03.2017

A minha pergunta... Que tipo de leis temos?
Ministério público, diap, ministério da justiça, ministra da justiça, procuradora geral, assembleia da República, etc não existe? Pagamos isso tudo! Tudo, até os buracos? Vivemos acima das possibilidades.

Anónimo 11.03.2017

CLARO Q FOI. SÓ Q AGORA Q PAGA? COMO SEMPRE OS MESMOS. OS Q USARAM E ABUSARAM DA CGD C SEMPRE EM TUDO Q É DESVIADO N MAIS É RECUPERADO. SÃO OS ABUTRES Á SOLTA Q N MAIS DESAPARECEM.

pub
pub
pub
pub