Web Summit Bono lança campanha para net chegar a 350 milhões pessoas pobres

Bono lança campanha para net chegar a 350 milhões pessoas pobres

O vocalista dos U2, Bono, lançou esta terça-feira, 8 de Novembro, uma campanha, através da sua associação sem fins lucrativos One, para que 350 milhões de mulheres e crianças que vivem nos países mais pobres do mundo possam ter internet em 2020.
Bono lança campanha para net chegar a 350 milhões pessoas pobres
Bloomberg
Lusa 08 de Novembro de 2016 às 15:13
O anúncio foi feito através de uma mensagem enviada para todos os participantes da Web Summit que está a decorrer esta semana em Lisboa e que, este ano, não irá contar com a presença do cantor irlandês.

"Eu não posso estar aí, mas os meus colegas da One estão para lançar a campanha para que o sector público e privado trabalhe junto para garantir que 350 milhões de mulheres e crianças dos países mais pobres do mundo estejam conectados à internet em 2020", lê-se na carta divulgada esta terça-feira, 8 de Novembro.

Bono recorda que as mulheres e as meninas que nasceram e vivem em países pobres têm três vezes menos hipóteses de estarem ligadas à internet do que os homens e os rapazes.

Por isso, Bono pede às pessoas que assinem o apelo que está na página da associação One, para que os líderes mundiais tomem acções no sentido de diminuir o fosso entre homens e mulheres, rapazes e raparigas no que toca à internet.

"Precisamos de pessoas que trabalhem juntas e que garantam que a sua paixão e criatividade pode ser usada em benefício de todos independentemente do sítio onde nasceram ou dos cromossomas com que nasceram", defende o artista.

A One, uma associação que luta contra a pobreza e as doenças em África, explica na sua página que "o acesso à internet não é um luxo, é uma mudança de vida. Mas neste momento, tal como a pobreza, também a internet é sexista".

Nos últimos anos, o cantor e músico irlandês, vocalista da banda U2, tornou-se um activista na luta por melhores condições de vida para quem vive em África.

Bono tem sido elogiado e criticado pelo seu activismo e envolvimento, tendo já sido referenciado como candidato ao prémio Nobel da Paz.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub