Energia BP faz parceria com a Kosmos Energy para Mauritânia e Senegal

BP faz parceria com a Kosmos Energy para Mauritânia e Senegal

A empresa energética acordou com a Kosmos Energy um investimento de mil milhões de dólares (956 milhões de euros). O objectivo do negócio passa pela liderança do mercado global de gás de baixo custo e o acesso aos mercados mundiais de gás.
BP faz parceria com a Kosmos Energy para Mauritânia e Senegal
Bloomberg
Negócios 19 de dezembro de 2016 às 13:53

Em comunicado publicado esta segunda-feira, 19 de Dezembro, a BP afirma ter assinado o contrato de aquisição de 62% de blocos de exploração de gás na Mauritânia e de 32,49% em operações no Senegal da Kosmos Energy. Espera-se que o acordo seja fechado no primeiro trimestre de 2017. A Kosmos ficará com 28% e 32,51% respectivamente nessas explorações.

"A entrada da BP na Mauritânia e no Senegal representa uma oportunidade estratégica entusiasmante para trabalhar com a Kosmos Energy numa bacia emergente de classe mundial", afirma Bob Dudley, director executivo, citado no comunicado.

Andrew Inglis, presidente da Kosmos Energy, afirma, por seu turno, no comunicado da Kosmos, que a BP é o "parceiro certo" para ajudar a Kosmos a avançar com o projecto de gás designado Tortue, situada ao largo da bacia da Mauritânia, e com o programa de exploração de poços de gás que visam testar o potencial da bacia conjunta da Mauritânia e do Senegal em meados de 2017.

Segundo o comunicado, o acordo mantém a Kosmos como operador técnico para a fase de exploração do projecto e a perfuração de três novos poços no próximo ano. Adicionalmente aos blocos existentes, as companhias concordaram em cooperar em área de interesse mútuo ao largo da Mauritânia, Senegal e Gâmbia, com a Kosmos a liderar a fase de exploração e a BP de desenvolvimento.

Em nota do comunicado, a BP afirma avançar com um pagamento de 162 milhões de dólares à Kosmos.  Além disso, a energética britânica garante o pagamento de 221 milhões de dólares em custos de exploração e avaliação, bem como 533 milhões de dólares em custos de desenvolvimento. A mesma nota adianta que a BP acrescentará um bónus de dois dólares por barril até mil milhões de barris como royalties de produção.

No passado fim-de-semana, refere o Financial Times, a BP adquiriu 10% das acções na maior exploração de petróleo da costa de Abu Dhabi. Em Novembro, a multinacional comprou 10% de participação da exploração egípcia de gás em Zohr à italiana Eni. Este mês, a BP avançou com a decisão de investimento de 9 mil milhões de dólares na segunda fase do campo de exploração de petróleo no Golfo do México.

Também nesta segunda-feira, a Galp avançou com o projecto de construção de uma unidade flutuante para a liquefacção de gás em Moçambique. Trata-se de uma estrutura de seus poços com capacidade de produção de 3,3 mt de gás natural.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub