Research BPI: Impacto no capital dificulta compra do BCP na Polónia

BPI: Impacto no capital dificulta compra do BCP na Polónia

Será pouco provável o BCP conseguir superar o Santander e o Commerzbank na corrida à compra dos activos do Deutsche Bank na Polónia, considera o BPI.
BPI: Impacto no capital dificulta compra do BCP na Polónia
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 07 de julho de 2017 às 10:29

A potencial aquisição da unidade do Deutsche Bank na Polónia tem um impacto negativo nos rácios de capital do Banco Comercial Português, o que dificulta a possibilidade de a unidade polaca do banco português superar os rivais na oferta para a aquisição de activos do Deutsche Bank no país.

 

A análise é da unidade de research do BPI, na nota diária desta sexta-feira, 7 de Junho, em reacção à notícia do jornal polaco Puls Biznesu, que dá conta que o Millennium Bank, detido a 50,1% pelo BCP, estará entre as três entidades interessadas na compra de activos do Deutsche Bank na Polónia.

 

Os outros interessados à compra do 12.º maior banco polaco são o mBank (detido pelo Commerzbank) e o BZ WBK (propriedade do Santander) estarão também entre a lista de pretendentes.

 

De acordo com o BPI, a potencial aquisição do banco polaco poderá ter um impacto de 80 pontos base no rácio CET1 do BCP, que em Março se situava nos 11,2%. Já para o Santander, assumindo que a compra será efectuada ao valor contabilístico dos activos, o impacto é "pouco significativo" (apenas 5 pontos base no rácio de capital).  

 

"Acreditamos que o impacto no capital torna improvável que o BCP consiga superar o Santander e o Commerzbank no processo de venda do Deutsche Bank", refere o BPI, que tem a cobertura das acções do BCP sob revisão.

 

Negócio de 500 milhões

 

Segundo o jornal polaco, as ofertas iniciais já terão sido avançadas pelos três candidatos, enquanto as propostas vinculativas pelo negócio do banco alemão na Polónia deverão chegar entre o final de Julho e Agosto, refere o jornal citando uma fonte não identificada.

Segundo a mesma fonte, o Commerzbank será o mais bem colocado para concretizar a aquisição. Nenhuma das partes quis comentar a operação ao Puls Biznesu. O Negócios contactou o BCP para comentar a notícia, não tendo sido possível ainda obter uma reacção.


À venda estão depósitos e a carteira de crédito denominados em zloty (a moeda local), o negócio de banca de investimento e corporate. O valor dos activos em alienação pode chegar aos 500 milhões de euros.

Nas mãos do banco alemão continuarão os empréstimos denominados em moeda estrangeira, de acordo com as regras bancárias internas.

Em Maio, a Reuters dava conta do desconforto dos bancos privados internacionais na operação polaca, devido à baixa rentabilidade do negócio (baixas taxas de juro, impostos sobre o sector bancário e pagamentos obrigatórios a um fundo de garantia) e ao aumento do peso do Estado no sector financeiro.

No final do ano passado, o negócio do Deutsche Bank na Polónia geria activos avaliados em 39 mil milhões de zloty (9.200 milhões de euros) e lucrou 23,6 milhões de euros.

 

As vendas de activos naquele país fazem parte do programa de redução implementado pelo banco alemão para reduzir os activos não-core e libertar capital.




A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado joaoferreira1 07.07.2017

vai esperando pela correção. Principalmente com a aproximação dos resultados...há cada passarinho (PRONTO, já não há negocio).

comentários mais recentes
Vendidas a 0,2424€. Quá, quá... 07.07.2017

Na 4ª feira. E que contente que fiquei. Foram 76,5% de mais valias. E as que ainda tenho - bastantes - vendo quando passarem dos 0,30€, lá para 2018. É assim que se faz. Há com cada burro ressabiado por aqui. Em vez de usarem o tempo para aprender, gastam-no a ficar fodidos com a alegria dos outros.

5000 MIL milhões dá o SANTANDER 07.07.2017



5000 MIL MILHÕES dá o SANTANDER ao BCP para ficar com os 51 % do MILENIUM POLACO mas o BCP pediu 10000 MIL MILHÕES o negocio deverá ficar fechado para a semana por 7500 MIL MILHÕES

então e a MAROSCA todos os dias no BCP 07.07.2017


então e a MAROSCA todos os dias no BCP da MESMA pessoa a comprar e a vender a si própria ninguém INVESTIGA se não fosse ESSA TROPA do DESCOBERTO ao TEMPO que o BCP estava no DOBRO

AVISO SÉRIO 07.07.2017

Eu sou um pequeno Empresário de construção civil, mesmo assim dou trabalho a 63 pessoas, mas gosto de comprar e vender umas ações, onde passo o tempo nas horas livres, deixem os Bancos o futuro está na construção, comprem MORA ENGIL,esta está cotada em bolsa,vai duplicar o valor das ações,

ver mais comentários
pub