Banca & Finanças BPI lucra 23 milhões até final de Setembro

BPI lucra 23 milhões até final de Setembro

O BPI lucrou 23 milhões de euros nos primeiros nove meses deste ano, incluindo os custos extraordinários com rescisões e reformas. O aumento das comissões e a descida das imparidades mais do que compensaram os efeitos negativos.
BPI lucra 23 milhões até final de Setembro
Ricardo Castelo/Negócios
Maria João Gago 19 de outubro de 2017 às 18:07

Os resultados líquidos do BPI totalizaram 23 milhões de euros no final de setembro, o que representa uma queda de 87,4% face aos primeiros nove meses do ano passado, devido aos custos extraordinários com a redução de quadros e o impacto negativo da venda de 2% do Banco de Fomento Angola, num total de quase 300 milhões de euros. 

 
Os resultados saíram acima do esperado, já que os analistas do CaixaBI antecipavam que o banco tivesse registado prejuízos de 28,8 milhões de euros no período entre Janeiro e Setembro, o que compara com os lucros de 182,9 milhões de euros registados no mesmo período do ano passado.

Excluindo os efeitos extraordinários, os resultados recorrentes do BPI ascenderam a 312 milhões de euros, refere um comunicado do banco à CMVM. Deste valor, quase metade foi gerado em Portugal, que contribuiu com 152 milhões de euros, quase em linha com o montante de resultados recorrentes de Angola, que ascendeu a 154 milhões. 

A capacidade de absorver os impactos extraordinários foi possível graças ao aumento de 9% das comissões líquidas e à queda de 43% das imparidades para crédito e ao aumento das recuperações de malparado, que mais do que duplicaram, passando de 11 para 26 milhões de euros. 

 

Em termos de negócio, o crédito a clientes particulares subiu 0,7%, para 12,2 mil milhões de euros, enquanto o financiamento a empresas cresceu 1,9% para 8,3 mil milhões. Já os depósitos avançaram 2,1%, totalizando 20,1 mil milhões. 


(notícia actualizada às 18:27 com mais informação)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 2 dias

Melhor q com um pau nas costas,depois de ter vindo a publico q eles iam riscar a vermelho.Pena e q quando sao ganhos sao muito poucochinhos,quando sao perdas tem de vir ambulancia do cativeiro mimco aritmetico.E tanta gente ir a cata de poucos,se fosse ao contrario,o portugues e casmurro ao raivoso

O unico analista que acerta Há 2 dias

é o phirolito. O gajo consegue prever cotações ao minuto... Os outros analistas são fracos, e erram muitas vezes, mas o phirolito é um génio. Já vendi a minha casa e o meu carro e investi tudo na Pharol. Tenho muita fé em empresas que nem têm cash para pagar aos credores. E também rezo muito.

Redução de imparidades Há 2 dias

As grandes cacetadas já foram reconhecidas no passado. Ainda há muitas, mas cada vez menos. O BCP está a fazer o mesmo caminho. O ano passado foram 1,5 mil milhões de custos, este ano vai ficar abaixo dos 800 milhões. Ainda é imenso, mas a trajectória de queda é evidente. BCP a 0,35€ em 2018.

sa Há 2 dias

grandes analistas , peviam 29 milhoes de prejuizo ,;; afinal tiveral 23 milhoes de lucro,. analistas de mer da

Saber mais e Alertas
pub