Tecnologias BPI: Vinda da Amazon para Portugal “deve aumentar a concorrência” na área electrónica

BPI: Vinda da Amazon para Portugal “deve aumentar a concorrência” na área electrónica

O Negócios avança na edição desta sexta-feira que a Amazon é outra das gigantes mundiais da tecnológica a abrir infra-estruturas em Portugal. Para os analistas do BPI, a vinda da tecnológica deverá “aumentar a concorrência em particular na área electrónica em Portugal”.
BPI: Vinda da Amazon para Portugal “deve aumentar a concorrência” na área electrónica
Negócios 26 de janeiro de 2018 às 10:32

Para os analistas do BPI, a vinda da tecnológica norte-americana Amazon "deve levar a um aumento da concorrência, em particular na área da electrónica em Portugal que é o segmento com maior penetração em termos de vendas no comércio electrónico". Os analistas, na nota a que o Negócios teve acesso, que a Worten representa 17% das vendas consolidadas da Sonae e 7% do EBITDA.

Na edição desta sexta-feira, o Negócios avança que a Amazon poderá ser a próxima tecnológica a anunciar um investimento em Portugal. A entrada da gigante norte-americana no país poderá ser oficializada ainda neste primeiro trimestre. Já estará mesmo a negociar um espaço no Porto. Fonte próxima do processo confirmou ao Negócios que a tecnológica está em conversações com o município do Porto, tendo em vista a sua instalação na zona nobre da Boavista.

O interesse da tecnológica por Portugal começou a ganhar novos contornos mediáticos no ano passado. Mas são bem mais antigos os sinais dados do interesse da Amazon por Portugal.

Apesar de os portugueses poderem fazer compras através da sua plataforma online, a Amazon não tem uma presença directa em Portugal. Ou seja, enquanto no país vizinho já lançou uma oferta direccionada - através da Amazon.es -, ainda não existe o endereço Amazon.pt. Aliás, este site redirecciona automaticamente para o endereço espanhol.

No passado dia 24, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que a Google vai instalar a partir de Junho, em Oeiras, um centro de serviços, hub tecnológico, para a Europa, Médio Oriente e África, arrancando com 500 empregos qualificados. A Google confirma o centro.

A Google confirmou o investimento em Portugal, explicando ao Negócios tratar-se de um centro de operações de fornecedores, "totalmente dedicado a fornecedores terceiros". Fonte oficial acrescentou, apenas, que "com esta abertura, estamos a instalar num local alguns dos muitos fornecedores que dão apoio às operações da Google", mas não fez referência aos postos de trabalho.

Nesse mesmo dia, Paddy Cosgrave, líder do Web Summit, partilhou nas redes sociais o anúncio de que a Google vai abrir em Oeiras um centro tecnológico e acrescentou: "os rumores são que a Google é a primeira de várias empresas tecnológicas de alto perfil a abrir escritórios em Lisboa". Cosgrave sinalizou também que a possibilidade da vinda de mais empresas reflecte o "grande trabalho da comunidade em Portugal e do governo".

Em Outubro, a Uber anunciou que escolheu Lisboa para instalar o seu novo Centro de Excelência, que prestará apoio a diferentes países europeus. 
O novo centro criará 250 postos de trabalho directos até 2018, estando já instalado, embora de forma provisória, na freguesia das Avenidas Novas.


O Centro de Excelência terá como missões apoiar utilizadores e motoristas para as plataformas Uber e UberEats - especializada na entrega de comidas e que chega a Lisboa até ao final do ano - em diferentes línguas. Espanha, França e Portugal estão entre os países apoiados.


A Zalando, plataforma germânica de moda, revelou em Novembro, por sua vez, que vai abrir, ainda durante o primeiro trimestre, um centro tecnológico em Portugal, criando no primeiro ano 50 postos de trabalho.




pub