Desporto Brandão Rodrigues admite agravar sanções no futebol

Brandão Rodrigues admite agravar sanções no futebol

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, admite penalizações mais severas para combater discurso de ódio, se a sociedade entender que isso é necessário.
Brandão Rodrigues admite agravar sanções no futebol
Miguel Baltazar
Negócios 03 de dezembro de 2017 às 11:04

O ministro da Educação, que tem a tutela do desporto, considera que "a apologia do ódio não pode de todo dominar o futebol" e que o "clima de crispação nos enfraquece". Mensagens deixadas numa entrevista publicada este domingo pelo DN, onde admite agravar sanções. 


Tiago Brandão Rodrigues afirma que ele próprio e o secretário de Estado da Juventude e Desporto, têm falado constantemente com a APAF, com a FPF e com a Liga de Clubes. Reforça o apelo "à contenção dos dirigentes, dos comentadores, dos órgãos de comunicação social".


"Basicamente há algo de que não nos podemos esquecer: o futebol é um espectáculo, agora, o futebol não pode ser, nunca pode ser, um ‘reality show’. Nós sabemos as vicissitudes que tem o futebol e este é um problema transaccionar", afirmou o ministro.


Se este ambiente de apologia ao ódio persistir, Tiago Brandão Rodrigues admite a hipótese de agravar as sanções para os dirigentes ou outros agentes do mundo do futebol.


"Eu acho que o 'reality show' não tem lógica e as pessoas que insistirem em participar nele têm de entender que não o podem fazer. Esperamos todos que não haja necessidade de haver nenhum tipo de novo enquadramento penalizador. Se o mundo do futebol, a sociedade civil, entre todos entendermos que essa é a única forma para lá avançaremos, mas o caminho tem de se fazer entendendo que temos de ser profiláticos e não chegar a esse momento", diz o ministro na entrevista.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Mais outro que ainda não deu por nada. INTERVENHAM PORRA!! Tirem a utilidade pública à Federação, e isenções de IRC aos clubes. Se não lhes doer não aprendem. Ou pensam que o holiganismo em Inglaterra se combateu com falinhas mansas.

Anónimo Há 1 semana

A mim, e alguns amigos meus, já não nos apanham num estádio de futebol há mais de 30 anos! e mesmo que eu vivesse mais 100, se tudo continuar como está agora, seriam mais 100 anos sem por lá os pés. E que tal acabar com as claques de vez (mas acabar mesmo), e voltarmos a não poder ter mais de 2 (ou vá lá 3) jogadores estrangeiros? é que este negócio das transferências é que está a matar o futebol... É só corrupção!

Anónimo Há 1 semana

Até que enfim, aparece um que não tem medo do "macaco"! Ou será que não viu a foto?

Anónimo Há 1 semana

Comece por irradicar do futebol aquele dirigente do Benfica que interferiu no jogo fcp/Benfica quando pontapeou a bola que o jogador do FCP se preparava para lançar e colocar em perigo as redes do Benfica , ou seja , um elemento estranho ao jogo que participou no jogo e ao atirar a bola cortou a jog

ver mais comentários
pub