Empresas Brasileira Natura compra The Body Shop por mil milhões de euros

Brasileira Natura compra The Body Shop por mil milhões de euros

A empresa de cosmética brasileira Natura adquiriu a cadeia britânica The Body Shop. De acordo com a BBC, a empresa brasileira terá pago mil milhões de euros pela operação.
Brasileira Natura compra The Body Shop por mil milhões de euros
Reuters
Ana Laranjeiro 28 de junho de 2017 às 12:11

A empresa de cosmética brasileira Natura adquiriu a The Body Shop. Segundo a BBC, a companhia brasileira terá desembolsado mil milhões de euros à L’Oréal, que detém a marca The Body Shop há 11 anos. Em 2006, quando a L’Oréal comprou a The Body Shop aceitou pagar cerca 940 milhões de euros.

Fundada em 1976 no Reino Unido por Anita Roddick, a The Body Shop foi pioneira na produção e venda de cosméticos que não foram testados em animais e que usam ingredientes naturais, adianta a mesma fonte.

Actualmente, a The Body Shop tem mais de três mil lojas espalhadas por 66 países.


Com esta operação, e de acordo com as declarações feitas pelo presidente da Natura, João Paulo Ferreira, ao jornal brasileiro Folha de São Paulo a 9 de Junho (altura em que as negociações decorriam mas não estavam ainda concluídas), são concretizados três objectivos estratégicos: internacionalização, diversificação de produtos e canais de venda e construção de um grande grupo de marcas globais.

De acordo com a mesma fonte, com esta operação, a facturação da empresa deve crescer para 11,5 mil milhões de reais, mais 45% face à receita líquida do ano passado. João Paulo Ferreira disse ainda, naquela altura, que a iniciativa para as negociações para a aquisição da The Body Shop partiram da L’Oréal.


A Natura comercializa os seus produtos em sete países da América Latina e em França.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Esta fusão de marcas de todos os tipos de negócio vai dar que cada vez mais iremos ter menos poder de escolha, tudo será igual (aliás basta andar pelos aeroportos do mundo inteiro para ver que já é assim), e os preços serão o que esses gigantes entenderem praticar.

pub