Transportes British Airways cancela todos os voos a partir de Gatwick e Heathrow

British Airways cancela todos os voos a partir de Gatwick e Heathrow

Na origem do cancelamento está uma falha informática que impede a realização do "check-in" dos passageiros e processamento de bagagens. Até ao início da noite, seis voos foram cancelados em Faro e Lisboa.
British Airways cancela todos os voos a partir de Gatwick e Heathrow
Paulo Zacarias Gomes 27 de maio de 2017 às 14:24

Mais de mil voos da companhia aérea British Airways foram cancelados este sábado, 27 de Maio, devido a uma falha informática que está a perturbar a sua operação a nível mundial.

A companhia suspendeu todos os seus voos a partir dos dois maiores aeroportos do Reino Unido - Heathrow, onde foram cancelados 471 voos, e Gatwick, com 71, segundo o flightstats.com, citado pelo Guardian. 

Em Faro e Lisboa, de acordo com a Lusa, foram cancelados pelo menos seis voos. 

Os cancelamentos - que chegam em cima de um fim-de-semana prolongado no país - ocorreram depois da falha informática ter afectado o sistema de reservas, gestão de bagagem, aplicações móveis e balcões de check-in. O CEO da empresa, Alex Cruz, esclareceu que o problema se ficou a dever a uma falha eléctrica.

Inicialmente, apontava-se para que a interrupção do serviço durasse até às 18:00. Mas num comunicado mais recente, a operadora estendeu o cancelamento até ao final do dia. E a companhia não exclui que as perturbações se arrastem para domingo.

Quem tinha voo marcado poderá ser reembolsado ou marcar a viagem para outra data. Para evitar que se agrave o congestionamento criado nos seus terminais nestes aeroportos, a empresa pediu aos clientes que não se desloquem para lá.

A falha informática, segundo o The Guardian, está a afectar o processamento de passageiros, gerando longas filas. Os que chegam aos aeroportos, vindos dos EUA e de outros países europeus, são obrigados a permanecer várias horas dentro dos aviões.

Um porta-voz da empresa garantiu que a companhia está a fazer tudo para resolver a situação o mais depressa possível.

Neste momento, de acordo com a BBC, não há indícios de que se possa tratar de um problema com origem num ciberataque, como o que afectou serviços de saúde no Reino Unido a 12 de Maio e abrangeu mais de 150 países.

O sindicato GMB aponta como causa do problema a transferência pela companhia de centenas de postos de trabalho na área tecnológica para a Índia no ano passado.

(Notícia actualizada às 21:10 com mais informação)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 28.05.2017

As empresas de cibersegurança têm um mercado com procura crescente.

comentários mais recentes
Anónimo 28.05.2017

As empresas de cibersegurança têm um mercado com procura crescente.

Anónimo 27.05.2017

São coisas que não podem falhar, e quando não funcionam tem de haver formas de resolver as situações sem complicações, como aconteceu com o combustivel da Portela.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub