Indústria British American Tobacco oferece 46,6 mil milhões pela Reynolds

British American Tobacco oferece 46,6 mil milhões pela Reynolds

A British American Tobacco está compradora da Reynolds American, um negócio que a concretizar-se irá criar a maior empresa mundial de tabaco, juntando marcas como a Lucky Strike e a Camel.
British American Tobacco oferece 46,6 mil milhões pela Reynolds
Negócios com Bloomberg 17 de janeiro de 2017 às 07:55

A agência Bloomberg avança esta terça-feira, 17 de Janeiro, que a British American Tobacco (BAT) já definiu o valor que pretende oferecer para garantir o controlo completo da Reynolds American, devendo avançar com uma proposta em torno dos 49,4 mil milhões de dólares (46,6 mil milhões de euros).

 

Se este negócio for para a frente, a junção destas duas empresas permitirá criar a maior empresa mundial de tabaco, juntando marcas conhecidas como a Lucky Strike e a Camel, relegando para a segunda posição a actualmente maior empresa do sector, a Philip Morris International, detentora de marcas como a Marlboro.

 

Segundo a British American Tobacco revela esta terça-feira em comunicado, a sua proposta avalia cada acção da Reynolds em 59,64 dólares, 29,44 dólares em dinheiro e 0,526 de cada título accionista da BAT por cada acção da Reynolds American.

 

Esta nova proposta da BAT compara com a anteriormente feita e que consistia na oferta de 24,13 dólares e 0,5502 por acção da tabaqueira britânica por cada título da Reynolds.

 

A Bloomberg refere que esta proposta de fusão surge no âmbito de uma onda de consolidação que atravessa todo o sector da indústria tabaqueira mundial, numa altura em que a procura de cigarros tradicionais tem vindo a diminuir e em que as novas tecnologias criam incerteza quanto ao futuro do sector.

 

A concretização deste negócio permitiria à BAT não apenas reforçar a sua posição no mercado norte-americano bem como aceder à posição de liderança detida pela Reynolds no que ao mercado dos cigarros electrónicos diz respeito.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub