Desporto Bruno de Carvalho fala em terrorismo comunicacional e acusa Benfica

Bruno de Carvalho fala em terrorismo comunicacional e acusa Benfica

O presidente do Sporting classificou como "terrorismo comunicacional" a notícia sobre o seu alegado envolvimento por tráfico de influências, divulgada hoje pelo jornal i, e acusa "as marionetas do Benfica" de continuarem ao ataque.  
Bruno de Carvalho fala em terrorismo comunicacional e acusa Benfica
Lusa 29 de janeiro de 2018 às 10:50

"Blablabla mas não existe despacho nem ninguém foi constituído arguido (...) Moral da história...nada disto interessa para nada mas as marionetas do Benfica continuam ao ataque", escreveu Bruno de Carvalho na sua página na rede social Facebook.

 

Numa publicação intitulada "terrorismo comunicacional", Bruno de Carvalho colocou uma lista de ligações para 10 notícias, sobre investigações de corrupção e tráfico de influências do Benfica, antecedida da frase: "De onde vem este ataque após a conquista do 1.º título de futebol sénior masculino esta época:".

 

No início da publicação, Bruno de Carvalho escreve que "qualquer monte de esterco é livre de fazer denúncias e o DIAP, por lei, tem de investigar e isso não significa nada".

 

Segundo o jornal i, Bruno de Carvalho está a ser investigado por tráfico de influências, estando o inquérito a decorrer no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

 

Citando a Procuradoria-Geral da República (PGR), o jornal i refere que além de Bruno de Carvalho está a ser investigado outro dirigente do clube de Alvalade, cujo nome não é divulgado.

 

"Em causa estão suspeitas do crime de tráfico de influências, não tendo sido ainda constituídos arguidos", escreve o diário citando a PGR, destacando que "o inquérito está a correr no Departamento de Investigação e Ação e Penal de Lisboa, não tendo conhecido despacho final".

 

Entretanto, o Benfica questionou, através de uma publicação na rede social Twitter: "Será que a tese de Alvalade e dos seus comentadores de que se existe processo é porque existe crime se mantém?".

 

"Mais uma investigação do Ministério Público confirmada pela PGR, sobre o presidente do SC Portugal, agora sobre o tráfico de influências. Antes foi investigado por suspeitas de pressões e coacção sobre árbitros e recebimento de comissões", escrevem os 'encarnados' na sua publicação no Twitter.

 

Bruno de Carvalho já tinha sido investigado no ano passado pelas autoridades no âmbito de uma denúncia anónima sobre "supostas ameaças a árbitros".

 

O Sporting, actual segundo classificado da liga portuguesa de futebol, atrás do FC Porto, conquistou no sábado a Taça da Liga, ao vencer no desempate por grandes penalidades, por 5-4, após o empate a um golo no tempo regulamentar.