Banca & Finanças Bruxelas espera que Caixa "siga em frente" após recapitalização

Bruxelas espera que Caixa "siga em frente" após recapitalização

"Estamos em contacto normal com o Governo português para que este e a nova administração da CGD digam como o caso vai seguir", disse Vestager, em conferência de imprensa.
Bruxelas espera que Caixa "siga em frente" após recapitalização
Freya Ingrid Morales/Bloomberg
Lusa 07 de dezembro de 2016 às 11:08

A comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, disse hoje estar em contacto com o Governo e a acompanhar as evoluções na Caixa Geral de Depósitos (CGD), esperando que o banco "siga em frente" após a recapitalização.

 

"Estamos em contacto normal com o Governo português para que este e a nova administração da CGD digam como o caso vai seguir", disse Vestager, em conferência de imprensa.

 

"Esperamos que, depois da injecção de capital, o banco possa seguir em frente", acrescentou a comissária.

 

Já na segunda-feira, o ministro das Finanças, Mário Centeno, tinha referido não haver qualquer razão para se questionar o acordo com a Comissão Europeia sobre a recapitalização da CGD, até porque o novo presidente executivo, Paulo Macedo, "cumpre os requisitos".

 

Mário Centeno garantiu que o processo de recapitalização deverá prosseguir como previsto.

 

Paulo Macedo, antigo ministro da Saúde do governo PSD/CDS de Pedro Passos Coelho, sucede a António Domingues, que no passado dia 27 de Novembro apresentou a demissão ao cargo de presidente do Conselho de Administração da Caixa, num modelo em que havia um único presidente.

 

Esta renúncia surgiu após cinco semanas de polémica em torno da recusa de António Domingues relativamente à entrega da declaração de rendimentos no Tribunal Constitucional à qual se juntou em seguida uma nova dúvida relacionada com a eventualidade de Domingues estar na posse de informação privilegiada sobre a Caixa quando participou, como convidado, em três reuniões com a Comissão Europeia para debater a recapitalização do banco, enquanto ainda era quadro do BPI.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub