Bolsa BT afunda mais de 19% após triplicar provisões em Itália

BT afunda mais de 19% após triplicar provisões em Itália

"Práticas impróprias". Foi assim que o presidente do grupo BT qualificou o que foi feito na unidade italiana que levou a que a empresa tivesse de triplicar o valor de perdas com Itália nas contas. As acções afundam para mínimos de 2013.
BT afunda mais de 19% após triplicar provisões em Itália
Bloomberg
Sara Antunes 24 de janeiro de 2017 às 09:26

A BT está a afundar em bolsa, depois de ter triplicado o registo de perdas com a unidade de Itália. "Estamos muito desapontados com as práticas impróprias que descobrimos na unidade italiana", afirmou o presidente executivo num comunicado, citado pela imprensa internacional.

 

As acções do grupo de telecomunicações britânico BT estão a deslizar 18,96% para 310 pence, tendo chegado a afundar 19,34% para 308,55 pence, o que corresponde ao valor mais baixo desde Julho de 2013.

 

Os problemas nas contas da unidade italiana foram identificados em Outubro, mas o valor de perdas foi agora actualizado, tendo o grupo triplicado o montante. O grupo teve de triplicar o valor de provisões inicialmente estipulado em 145 milhões de libras. A revisão das contas vai também ditar uma queda das receitas do terceiro trimestre, bem como do EBITDA em 120 milhões de libras, revelou a operadora de telecomunicações.

 

"Levámos a cabo investigações extensivas naquela unidade e estamos comprometidos em assegurar as melhores práticas em todo o grupo BT para benefícios dos clientes, accionistas, funcionários e todos os outros parceiros", acrescentou Gavin Patterson no mesmo comunicado.

 

O grupo reviu também em baixa as suas estimativas para o conjunto de 2017, prevendo que as receitas ajustadas estabilizem, em vez de crescerem tal como tinha sido previsto em Outubro. A empresa reduziu também os objectivos para o EBITDA.

 

A contribuir para a revisão esteve a deterioração das perspectivas "para o sector público do Reino Unido" bem como para os mercados internacionais.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub