Empresas Burla com obras de arte lança suspeita sobre a Cunha & Albuquerque

Burla com obras de arte lança suspeita sobre a Cunha & Albuquerque

Três empresários detidos e cerca de 70 investidores que aplicaram entre três a quatro milhões de euros. Este é o balanço inicial de um alegado esquema de burla que envolve, mais uma vez, produtos não financeiros. As semelhanças com o recente caso da fraud

Três empresários detidos e cerca de 70 investidores que aplicaram entre três a quatro milhões de euros. Este é o balanço inicial de um alegado esquema de burla que envolve, mais uma vez, produtos não financeiros. As semelhanças com o recente caso da fraude dos selos são muitas, mas agora o modus operandi envolve promessas de rentabilidade através do investimento em obras de arte.

De acordo com a Polícia Judiciária (PJ), foram detidos na terça-feira três empresários de nacionalidade portuguesa, suspeitos da prática dos crimes de burla qualificada, associação criminosa, branqueamento e recepção ilícita de depósitos. Os gestores estão ligados à empresa Cunha & Albuquerque, que se dedica à oferta de investimentos em obras de arte e antiguidades. Sedeada em Cascais, a empresa aparece referenciada como pertencente à casa-mãe Afinworld, que tem sede em Espanha e representações em países como Itália, Alemanha, França e Holanda.