Turismo & Lazer Cada passageiro de cruzeiro gastou menos de 57 euros em Lisboa

Cada passageiro de cruzeiro gastou menos de 57 euros em Lisboa

Em média cada passageiro gastou em 2016, durante a sua passagem por Lisboa, menos 73 euros do que no ano anterior. Alimentação e compras foram as maiores despesas.
Cada passageiro de cruzeiro gastou menos de 57 euros em Lisboa
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 10 de julho de 2017 às 16:24

Cada passageiro de navio de cruzeiro teve, em termos médios, uma despesa individual de 56,80 euros durante a sua passagem por Lisboa, um valor que é menos de metade da despesa que este tipo de turista realizou em 2015, na ordem de 130,28 euros, aponta o inquérito a passageiros de cruzeiros de 2016.

No estudo, realizado pelo Observatório do Turismo de Lisboa em conjunto com a Administração do Porto de Lisboa, é feito notar para esta queda da despesa média, apurada junto dos passageiros entrevistados, que face ao ano anterior a amostra "é um pouco mais velha, viaja sobretudo em casal e não em grupo de amigos, e fez uso primordial de agência de viagens para reservar a sua viagem". Algo que, é referido, "pode ter implicado menos gastos extra pacote de cruzeiro".

Segundo o estudo, 13% dos passageiros indicou ter realizado despesas na visita a museus, monumentos ou atracções (mais do que os 4,7% em 2015), enquanto 43,9% disse ter efectuado compras (em 2015 eram 25%).

Em termos médios, os valores individuais despedidos nos museus foram de 9,33 euros em 2016, o que compara com os 25,31 euros de 2015.

Já em compras o custo médio foi da ordem dos 34,24 euros, o que revela também uma diminuição face aos 85,85 euros apontados no inquérito anterior.

Por outro lado, 45,8% dos passageiros disse ter tido gastos com alimentação, num valor médio de 23,48 euros, o que compara com 33,21 euros de 2015, enquanto 41% gastou nos transportes de Lisboa, numa despesa média de 12,65 euros, também abaixo dos 29,75 de um ano antes.

Apenas 2,6% dos inquiridos tiveram gastos numa excursão comprada em Lisboa e 1,4% em alojamento.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.07.2017

Comparam médias mas têm de ter em conta que no início só vinham cruzeiros de topo... agora já vem classe média baixa... se o valor medio diminuir mas a quantidade aumentar não vejo o problema...

joaoferreira1 10.07.2017

Os cruzeiros só dão dinheiro de forma direta quando Lisboa passar a local de início de cruzeiros. Nesta situação há entrada de dinheiro com dormidas, alimentação e outras despesas que são efetuadas pelos "cruzeiristas" que normalmente viajam 2 dias antes do início do cruzeiro para o local onde este se inicia. Neste momento como ponto de passagem o máximo que Lisboa obtém é a curiosidade destes turistas que nos visitam por meia dúzia de horas, o que pode conduzir à hipótese destes decidirem vir conhecer lisboa noutra ocasião e não num cruzeiro.

pub