Telecomunicações Cadete de Matos vai presidir grupo de reguladores europeus dos serviços postais

Cadete de Matos vai presidir grupo de reguladores europeus dos serviços postais

O presidente da Anacom foi eleito esta quinta-feira presidente do grupo de reguladores europeus dos serviços postais. João Cadete de Matos vai assumir esta função em 2019.
Cadete de Matos vai presidir grupo de reguladores europeus dos serviços postais
Miguel Baltazar
Sara Ribeiro 30 de novembro de 2017 às 15:28

O presidente do conselho de administração da Anacom, João Cadete de Matos, foi eleito por unanimidade para a presidência do grupo de reguladores europeus dos serviços postais (ERGP) em 2019. A eleição decorreu esta quinta-feira, 30 de Novembro, em Bona, durante a reunião plenária do ERGP.

Em comunicado enviado às redacções, o regulador português do sector de comunicações, explica que de acordo com as regras de funcionamento deste Grupo de reguladores europeus, João Cadete de Matos vai exercer a função de vice-presidente já em 2018 e também em 2020, de modo "a assegurar a continuidade dos trabalhos". Em 2018, a presidência do ERGP será exercida por Jack Hamande, presidente do regulador belga.

O ERGP foi criado por decisão da Comissão Europeia em 2010 com a missão de "promover a partilha de experiências regulatórias e de melhores práticas entre todos os reguladores postais".

Na lista dos objectivos estratégicos do Grupo para os próximos anos "destaca-se a promoção de uma disponibilização sustentável do serviço postal universal, a promoção de um mercado único postal competitivo e a promoção de uma adequada protecção dos consumidores e outros utilizadores dos serviços postais", segundo o mesmo comunicado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub