Banca & Finanças Caixa deverá emitir dívida em Março

Caixa deverá emitir dívida em Março

Mourinho Félix diz que cabe à administração do banco público colocar a dívida. Auditoria forense à Caixa espera por resposta do Banco de Portugal.
A carregar o vídeo ...
Marta Moitinho Oliveira 15 de fevereiro de 2017 às 13:37

O secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, disse esta quarta-feira que a emissão de dívida por parte da Caixa Geral de Depósitos (CGD) deverá acontecer em Março, mas que será a administração do banco público a fazer a colocação.

A emissão de dívida por parte da Caixa faz parte do plano de recapitalização e deverá ascender a 1.000 milhões de euros, dividido em duas fases (cada uma com 500 milhões). A primeira ocorre aquando da injecção de 2.700 milhões de euros por parte do Estado. A segunda emissão deverá acontecer 18 meses depois, segundo o acordo feito com a Comissão Europeia.

A emissão dos primeiros 500 milhões, bem como a injecção de 2.700 milhões, aguarda o fecho das contas de 2016, que deverão apresentar prejuízos recorde de cerca de 3.000 milhões de euros.
 
Mourinho Félix adiantou na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças que "a e
missão deverá ser feita durante o mês de Março" e que "cabe à administração" da Caixa fazer todo o processo de colocação de dívida. 

O governante acrescentou que neste momento está a ser feito o "apuramento final" das imparidades e da sua cobertura.

Mourinho Félix respondeu ainda a questões colocadas pelos deputados sobre a auditoria forense à Caixa, que foi aprovada no Parlamento. O governante explicou que a auditoria em causa não é às contas, mas sim aos procedimentos usados no banco público, o que implicou acesso a informação que está sob segredo bancário. Foi por este motivo que foi enviado um pedido ao Banco de Portugal, que tem de autorizar esse acesso. 

O secretário de Estado garantiu também que serão enviados à Inspecção-Geral de Finanças os relatórios de auditoria da Caixa, que estão em falta desde o terceiro trimestre de 2015.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub