Banca & Finanças CaixaBank fica com 84,5% do BPI

CaixaBank fica com 84,5% do BPI

Com a oferta pública de aquisição geral e obrigatória, o CaixaBank passou de 45,5% para 84,5% do Banco BPI.
CaixaBank fica com 84,5% do BPI
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 08 de fevereiro de 2017 às 16:39

O CaixaBank ficou com 84,5% do BPI na oferta pública de aquisição. Ficam nas mãos de outros accionistas 15,49% do capital. O CaixaBank admitiu que iria manter o BPI com as acções cotadas em bolsa.

 

De acordo com os resultados da operação, divulgados na sessão especial de apuramento desta quarta-feira 8 de Fevereiro, os catalães, que tinham 45,5% do BPI, passam a responder por 84,52% dos direitos de voto do banco português.

 

Tendo em conta que já tinha 45,5%, apenas 54,5% do capital do banco liderado por Fernando Ulrich estava sujeito à oferta, a um valor de 1,134 euros por acção. Na oferta, o CaixaBank adquiriu 39,02% para além do que já detinha. O grau de aceitação do capital que estava sob oferta foi, portanto, de 71,59%.

 

Na aquisição das 568 milhões de acções, os catalães gastaram 644,5 milhões de euros.  
 

Não foram identificados os accionistas que venderam mas ontem surgiram já notícias que davam conta das transacções. A Santoro, de Isabel dos Santos, com 18,6%, o Grupo Violas Ferreira, com 2,7%, alienaram as suas posições.

 

A OPA sobre o BPI foi lançada pelos catalães a 18 de Abril, na altura uma operação voluntária, com uma contrapartida de 1,113 euros por acção. Em Setembro, a oferta passou a ser obrigatória já que deixou de haver limitação de 20% aos direitos de voto na instituição financeira, pelo que o CaixaBank deixou de ter poder sobre 20% do BPI mas sim sobre 45,5%.

 

Com a oferta a ser obrigatória, há mais exigências e o cálculo da contrapartida tem de obedecer a regras inscritas no Código de Valores Mobiliários (CMVM). Por isso, o preço por acção foi aumentado para 1,134 euros. 


(notícia actualizada às 16:55 com mais informação)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 08.02.2017

Porreiro Pá.
Espero que mudem a marca de BPI - Banco Português de Investimento para BCI-Bank Catalan de Investimiento

comentários mais recentes
Investidor 08.02.2017

O BPI já não era, na prática, português. Bancos portugueses eram o BPN, o Banif e o BES. E correu tão bem, não correu?

SALAZAR 08.02.2017

MAIS UM PARA AS MÃOS DE ESTRANGEIROS. TODAS AS GRANDES EMPRESAS PÚBLICAS PORTUGUESES E BANCOS NAS MÃOS DE ESTRANGEIROS TAL A QUANTIDADE DE LADRÕES, CORRUPTOS E TRAIDORES PORTUGUESES AO MAIS ALTO NÍVEL QUE PERMITIRAM ISSO NOS ÚLTIMOS 4O ANOS. NEM UM PRESO. VIVA O 25 DE ABRIL E O PS, PSD E CDS...

Eu e que sei 08.02.2017

O nome já está a muito escolhido. CaixaBank

Anónimo 08.02.2017

Porreiro Pá.
Espero que mudem a marca de BPI - Banco Português de Investimento para BCI-Bank Catalan de Investimiento

pub