Banca & Finanças CaixaBank lucra 1.047 milhões em 2016

CaixaBank lucra 1.047 milhões em 2016

O CaixaBank lucrou 1.047 milhões no ano passado, mais 28,6% do que em 2015. BPI gerou 13,5% dos resultados do banco catalão que lançou uma OPA para ficar com a maioria do capital da instituição.
CaixaBank lucra 1.047 milhões em 2016
Reu
Maria João Gago 02 de fevereiro de 2017 às 08:37

O CaixaBank, maior accionista do BPI, lucrou 1.047 milhões de euros no ano passado, um aumento de 28,6% face a igual período do ano passado. Este crescimento reflectiu o aumento do contributo das empresas participadas, como o BPI, a redução de custos e, sobretudo, a diminuição das imparidades para crédito malparado.

 

O produto bancário manteve-se estável em 7.827 milhões de euros e só não caiu graças à subida dos resultados das participadas, que avançaram 43% para 828 milhões. Para esta evolução foi importante o contributo do BPI que, em termos líquidos, gerou 140 milhões para os lucros do CaixaBank, ou seja, assegurou 13,5% dos resultados, contra 13% no exercício anterior, considerando uma participação accionista de 45%.

 

O crescimento dos resultados das participadas anulou o impacto negativo da redução da margem financeira - menos 4,5% para 4.157 milhões - e das comissões líquidas, que recuaram 1,2%, para 2.090 milhões de euros.

 

Os custos operacionais recorrentes caíram 1,7%, para 3.995 milhões, mas esta rubrica foi penalizado por um aumento de 77% de gastos extraordinários, num total de 121 milhões.

Foi a redução das imparidades para crédito, que recuaram 57,5% para 1.069 milhões, que mais contribuiu para o aumento dos resultados do CaixaBank. 

Jornalista em Barcelona a convite do CaixaBank 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub