Indústria Calçado bate novo recorde e fica “ao pé” dos dois mil milhões de exportações

Calçado bate novo recorde e fica “ao pé” dos dois mil milhões de exportações

A indústria portuguesa de calçado fechou 2017 com um novo máximo histórico nas exportações, o que acontece pelo oitavo ano consecutivo. As vendas de sapatos para mais de 150 países atingiram os 1,979 mil milhões de euros, mais cerca de 56 milhões do que no ano anterior.
Calçado bate novo recorde e fica “ao pé” dos dois mil milhões de exportações
Rui Neves 09 de fevereiro de 2018 às 13:07

A "indústria mais sexy da Europa", como se apresenta ao mundo, registou em 2017 um crescimento de 2,9% nas exportações, de acordo com os "dados preliminares" facultados ao Negócios pela associação do sector (APCCAPS) com base nas estatísticas divulgadas pelo INE esta sexta-feira, 9 de Fevereiro.

 

Trata-se do oitavo ano de crescimento do calçado português nos mercados internacionais, com as vendas ao exterior em 2017 a chegarem aos 1,979 mil milhões de euros, mais 56 milhões do que ano anterior, e que correspondem à exportação de cerca de 84 milhões de pares de sapatos para mais de 150 países, nos cinco continentes.

 

"Desde 2009, as vendas de calçado português no exterior aumentaram mais de 50%. Fruto de uma aposta sem precedentes nos mercados internacionais, Portugal passou a exportar mais 700 milhões de euros, alargando ainda a geografia das exportações a mais de 20 novos destinos", enfatiza a APICCAPS.

 

Mais de 90 empresas portuguesas na maior feira mundial de calçado

 

Com as exportações a valerem mais de 95% da sua produção, a indústria portuguesa de calçado continua a ter a promoção comercial externa como a primeira das suas prioridades.

Vai estar assim em peso, mais uma vez, na MICAM, a maior e mais prestigiada feira de calçado do mundo, que se realiza entre os próximos dias 11 e 14 de Fevereiro, em Milão, Itália.

Ao todo, entre mais de 1.600 expositores, de cerca de 50 países, marcarão presença 94 empresas portuguesas, com Portugal a voltar a ser a segunda maior delegação estrangeira no certame, sendo apenas ultrapassado pela Espanha.

 

Os "stands" lusos na MICAM, que receberão este domingo a visita do secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Alexandre Ferreira, respondem por mais de oito mil postos de trabalho e cerca de 500 milhões de euros de exportações.

 

A participação portuguesa neste certame está orçada em dois milhões de euros.

 

Duas centenas de empresas da fileira do calçado estão a participar, desde o início do ano, "num mega-programa de promoção à escala internacional, que se traduzirá na presença em cerca de 60 dos mais prestigiados fóruns internacionais da especialidade", destaca a APICCAPS.

 

Las Vegas, Londres, Paris, para além de Milão, são "destinos obrigatórios" para as empresas portuguesas durante o mês de Fevereiro. "No total, em pouco mais de 20 dias, o sector de calçado participará em praticamente 10 certames profissionais no exterior", sublinha a associação do sector.

 

Nos próximos dois anos, estas 200 empresas de calçado nacionais irão participar em mais de 110 acções promocionais no estrangeiro, num investimento global previsto de 31 milhões de euros, que conta com a incontornável ajuda financeira do Compete 2020, programa do quadro de apoios comunitários em curso.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Resultado final do negócio?? prejuízo para o país ou lucro??

Saber mais e Alertas
pub