Empresas Calçado português “bate o tacão” em Itália com o Governo em peso

Calçado português “bate o tacão” em Itália com o Governo em peso

Quase uma centena de empresas da indústria portuguesa de calçado, que exporta mais do que importa de Itália, vai a Milão participar na maior e mais prestigiada feira mundial do sector, onde contará com a visita de um ministro e dois secretários de Estado.
Calçado português “bate o tacão” em Itália com o Governo em peso
O sector português de calçado mostra-se ao mundo como "A indústria mais sexy da Europa".
Rui Neves 15 de setembro de 2017 às 14:37

Com as exportações a valerem mais de 95% da sua produção, a indústria portuguesa de calçado continua a ter a promoção comercial externa como a primeira das suas prioridades.

 

Nesse sentido, vai estar em peso, mais uma vez, na MICAM, a maior e mais prestigiada feira de calçado do mundo, que se realiza entre os próximos dias 17 e 20 de Setembro, em Milão, Itália.

 

Ao todo, entre mais de 1.600 expositores, de cerca de 50 países, marcarão presença 96 empresas portuguesas, com Portugal a voltar a ser a segunda maior delegação estrangeira no certame, sendo apenas ultrapassado pela Espanha.

 

E "o Governo português vai estar, uma vez mais, em peso na maior feira e calçado do mundo", realça a associação empresarial do sector (APICCAPS), confirmando que Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, visitará a delegação portuguesa na MICAM, fazendo-se acompanhar pelos secretários de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, e da Indústria, Ana Lehmann.

As 96 empresas portuguesas participantes na MICAM respondem por cerca de 8.300 postos de trabalho e 550 milhões de euros de exportações.

 

Entretanto, a APICCAPS enfatiza que, caso se confirme a tendência de crescimento das exportações no primeiro semestre, "este será o oitavo ano de crescimento do calçado português nos mercados externos", atingindo um novo máximo histórico.

 

"Desde 2009, as vendas de calçado português nos mercados internacionais aumentaram sensivelmente 60%, passando de 1,2 mil milhões de euros para praticamente 1,95 mil milhões de euros no final do último ano", enfatiza a associação liderada por Luís Onofre, em comunicado.

 

Na primeira metade de 2017, Portugal exportou 43 milhões de pares de calçado, no valor de 960 milhões de euros, o que traduz um aumento de 6,3% em relação ao mesmo período do ano passado, tendo crescido "em praticamente todos os mercados relevantes" de um total de 152 países, nos cinco continentes.

 

Na União Europeia, registou-se um acréscimo de 5,2%, fruto dos bons desempenhos em países como França (mais 4% para 202 milhões de euros), Holanda (mais 6% para 136 milhões de euros), e Alemanha (mais 8% para 181 milhões de euros).

 

Para Itália as exportações ascenderam a 27 milhões de euros, enquanto as importações ficaram pelos 24 milhões, resultando num saldo comercial positivo de três milhões de euros.

 

Fora do espaço europeu, os grandes destaques vão para os crescimentos nos Estados Unidos (mais 7% para 35 milhões de euros), Rússia (mais 32% para 13 milhões), Canadá (crescimento de 30% para 12 milhões), Angola (mais 126% para 11 milhões) e Japão (aumento de 6% para 11 milhões de euros).




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Orgulho! Boa sorte e bons negócios em Itália! Uma inspiração para outros setores de atividade.

pub
pub
pub
pub