Transportes Campanha atrai mais de 4 mil para os transportes públicos

Campanha atrai mais de 4 mil para os transportes públicos

A campanha promovida pela Área Metropolitana de Lisboa que envolvia a oferta de um mês gratuito aos novos clientes que aderissem ao passe intermodal gerou 4.153 pedidos.
Campanha atrai mais de 4 mil para os transportes públicos
Bruno Simão/Negócios
Negócios 04 de Novembro de 2016 às 15:57

A campanha "Passe a Passe", promovida pela Área Metropolitana de Lisboa (AML) na Semana Europeia da Mobilidade, gerou 4.153 novos pedidos do cartão Lisboa Viva, anunciou aquela entidade.

Com a campanha, que envolvia a oferta de um mês gratuito aos novos clientes que adiram ao passe intermodal no dia 22 de Setembro, foram pedidos mais 44% de cartões Lisboa Viva relativamente a 22 de Setembro de 2015, o que para a AML significa que "é possível fazer crescer o número de utentes do sistema público de transportes".

A iniciativa da AML, enquanto autoridade de transportes, foi articulada com todos os operadores de transportes públicos e privados da região metropolitana de Lisboa.

Como foi então explicado, todos os cidadãos ainda não utentes do passe intermodal que quisessem aderir ou todos os que já o tenham sido, mas não sejam praticantes pelo menos há 12 meses, poderiam no dia 22 de Setembro, ao fazerem a aquisição do passe intermodal em cartão, ter acesso a um 'voucher', sendo o valor do 'voucher' variável consoante o transporte, mas situando-se entre os 35 e os cerca de 80 euros.

De acordo com o balanço provisório da iniciativa feito agora pela AML, já foram efectuados 3.061 carregamentos de títulos e emitidos 3.076 vouchers, sendo que os passes a atribuir no âmbito desta campanha podem ainda ser carregados até ao fim de Novembro.

A AML refere no mesmo comunicado que além de sensibilizar e convidar à utilização dos transportes colectivos, a campanha visava ainda estudar a utilização da rede e sistema tarifário de transportes, que, no futuro deverão ser alargados.


Nesse âmbito, acrescenta, "foi também possível identificar as fragilidades do sistema de transportes, na informação ao público, que indicam claramente a necessidade de melhorar o atendimento".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub