Aviação Cancelados 830 voos da Lufthansa no terceiro dia de greve de pilotos

Cancelados 830 voos da Lufthansa no terceiro dia de greve de pilotos

A companhia aérea alemã Lufthansa anunciou hoje o cancelamento de 830 voos domésticos e na Europa devido à greve dos pilotos, que entrou no terceiro dia e deve prosseguir no sábado.
Cancelados 830 voos da Lufthansa no terceiro dia de greve de pilotos
reuters
Lusa 25 de Novembro de 2016 às 07:42

Cerca de 830 voos na Alemanha e na Europa não puderam ser assegurados, afectando mais de 100.000 mil passageiros, de acordo com a transportadora.

 

De e para Portugal estava previsto o cancelamento de cinco voos, segundo disse na quinta-feira fonte oficial da companhia aérea alemã à Lusa.

 

A greve convocada pelo sindicato dos pilotos Cockpit começou na quarta-feira e levou ao cancelamento de 2.618 voos, incluindo já os de hoje, afectando mais de 315.000 passageiros, indicou a Lufthansa em comunicado.

 

O sindicato anunciou na noite de quinta-feira que pretende prolongar a greve no sábado, sendo que, desta feita, todos os voos de longo curso com partida da Alemanha serão afectados.

 

A Lufthansa deve indicar mais tarde o número de ligações aéreas que irão ser canceladas no sábado.

 

Esta é a 14.ª greve dos pilotos da Lufthansa desde a primavera de 2014.

 

O diferendo entre a administração da empresa e o sindicato deve-se a um impasse nas negociações salariais.

 

"Nós pagamos aos pilotos significativamente mais do que a concorrência. Somos responsáveis por mais de 120.000 empregados e queremos que a Lufthansa tenha um futuro", defendeu na quinta-feira, Harry Hohmeister, um dos administradores da empresa, considerando "impossível" aceitar as reivindicações salariais do sindicato Cockpit.

 

Segundo a administração, um co-piloto em início de carreira ganha 6.550 euros brutos por mês, enquanto um capitão em fim de carreira tem um vencimento superior a 22.000 euros.

 

Segundo o jornal Bild a greve está a custar à Lufthansa cerca de 10 milhões de euros por dia.

 

O protesto não afecta as companhias do grupo Eurowings, Swiss, Austrian Airlines, Air Dolomiti e Brussels Airlines. A companhia de baixo custo Germanwings também não foi até agora afectada pela greve, apesar de os seus pilotos serem abrangidos pelo conflito salarial.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
germano Há 1 semana

Sindicatos comunas! Estes senhores pilotos querem acabar com a companhia, pelo menos é o que disseram cá dos pilotos da TAP. Os pilotos da Luf ganham uma miséria comparados com os de outras companhias?

pub