Agricultura e Pescas Capoulas Santos diz que empréstimo do BEI para ampliação do Alqueva será assinado este mês

Capoulas Santos diz que empréstimo do BEI para ampliação do Alqueva será assinado este mês

O ministro da Agricultura disse esta terça-feira que o empréstimo do Banco Europeu de Investimento vai ser assinado ainda no presente mês de Novembro. Capoulas Santos diz que o empréstimo de 260 milhões de euros permitirá aumentar em 50 mil hectares do regadio de Alqueva.
Capoulas Santos diz que empréstimo do BEI para ampliação do Alqueva será assinado este mês
Lusa 14 de novembro de 2017 às 10:01
O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, informou esta terça-feira que neste mês será oficializado o empréstimo que permite ampliar o regadio no Alqueva em 50 mil hectares.

"Depois de muitos meses, mais de um ano, de negociação com o Banco Europeu de Investimento (BEI) vai ainda este mês concretizar-se a assinatura do empréstimo de 260 milhões de euros", anunciou o governante, na Assembleia da República.

O empréstimo viabilizará o aumento em 50 mil hectares do regadio de Alqueva e "ainda deixará uma folga financeira de outros cinquenta milhões, para além do PDR [Programa de Desenvolvimento Rural], a investir noutras áreas do país".

Na sua intervenção inicial na discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), na Assembleia da República, o governante notou que uma das apostas da sua tutela é no regadio, "uma resposta muito mais que pertinente neste momento de seca que atravessamos".

Capoulas Santos sublinhou que a eficiência vai nortear o aumento da área, até 2022, da barragem do Alqueva em cerca de 50 mil hectares.

Na audição conjunta com os deputados da Comissão de Orçamento e da Comissão de Agricultura, o ministro destacou haver cerca de 118 milhões de euros de verbas para cofinanciamento do PDR para o próximo ano, "bastante mais do que o objectivo para 2016/2017 que era conseguir 90 milhões para executar plenamente o PDR".

"Iremos começar a tarefa da recuperação da baixa execução de dois anos: de 2014 e 2015. Não só executámos em 100% em 2016, como iremos, seguramente, executar 100% em 2017 e iremos em 2018 executar mais do que esse montante", garantiu.

Logo depois, o deputado social-democrata, Nuno Serra, criticou o ministro por fazer muitos anúncios, "muita propaganda", o que foi negado pelo ministro com a pasta da Agricultura.



pub