Aviação Carlos Coelho questiona Bruxelas sobre direitos de passageiros da Ryanair

Carlos Coelho questiona Bruxelas sobre direitos de passageiros da Ryanair

O eurodeputado Carlos Coelho (PSD) questionou hoje com carácter de urgência a Comissão Europeia sobre os cancelamentos de voos pela Ryanair e recusa de indemnização, que considera violarem os direitos dos consumidores.
Carlos Coelho questiona Bruxelas sobre direitos de passageiros da Ryanair
Correio da Manhã
Lusa 19 de setembro de 2017 às 18:52
O eurodeputado, que integra a comissão parlamentar do Mercado Interno e Protecção dos Consumidores, quer saber se o executivo comunitário "recebeu notificações por violação intracomunitária por parte das autoridades nacionais responsáveis pela aplicação da legislação de defesa do consumidor".

O deputado ao Parlamento Europeu pergunta ainda se a Comissão Europeia "pretende tomar medidas para defender os direitos dos milhares de consumidores europeus afectados".

"Tenho recebido muitas queixas de passageiros que alegam que a Ryanair não os tem informado dos seus direitos negando-se inclusive ao direito à indemnização de acordo com as regras da legislação de defesa do consumidor", salientou o eurodeputado.

Carlos Coelho considerou ainda que "a excepção a esta obrigação de indemnização prende-se com circunstâncias excepcionais que não poderiam ter sido evitadas mesmo que tivessem sido tomadas todas as medidas razoáveis não considerando a gestão interna e má planificação do negócio motivo para se furtar a este dever de indemnização".

A Ryanair vai cancelar 346 ligações (173 voos) de e para Portugal, desde a próxima quinta-feira até ao final de Outubro, de acordo com a lista publicada na página da companhia aérea na Internet.

Na sexta-feira, a companhia aérea 'low cost' (baixo custo) anunciou o cancelamento de 40 a 50 voos por dia durante seis semanas, até ao final de Outubro, num total de cerca de 2.000 ligações, com o objectivo de "melhorar a sua pontualidade", que diz ter caído "abaixo de 80%" nas duas primeiras semanas de Setembro.

A lista agora divulgada na página da Internet, com todos os voos abrangidos, mostra que serão cancelados entre seis e 14 ligações diárias de e para Portugal (entre três e sete voos, respectivamente) até ao final de Outubro.

Nas seis semanas em causa, só serão canceladas seis ligações (três voos) de e para o aeroporto de Faro e oito ligações de e para a Terceira (Açores), o que corresponde a quatro voos.

Os aeroportos de Lisboa e do Porto serão os principais afectados com este cancelamento de voos da companhia de baixo custo, o que terá mais impacto no Francisco Sá Carneiro tanto em termos absolutos (o número de voos cancelados é maior), como em termos relativos já que a operação da Ryanair tem mais impacto nesta infraestrutura do que no aeroporto Humberto Delgado.

Na segunda-feira, o presidente-executivo da Ryanair, Michael O'Leary, assegurou que o cancelamento de voos nas próximas seis semanas não se deve a falta de pilotos, mas a um "erro" na distribuição de férias, tendo assumido "toda a responsabilidade pessoal".



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub