Banca & Finanças Carlos Costa: Bancos devem promover bom "corporate governace" na concessão de crédito

Carlos Costa: Bancos devem promover bom "corporate governace" na concessão de crédito

A forma como os bancos concedem crédito à economia deve promover boas práticas de "corporate governance " nas empresas financiadas, defendeu o governador do Banco de Portugal. Carlos Costa quer os bancos a exigirem informação verdadeira às empresas e a avaliarem os projectos em detrimento das garantias.
Carlos Costa: Bancos devem promover bom "corporate governace" na concessão de crédito
Bruno Simão/Negócios
Maria João Gago 20 de junho de 2017 às 11:18

"O papel dos bancos é crítico" na promoção de boas práticas de "corporate governance", defendeu Carlos Costa, governador do Banco de Portugal na conferência Flexibilidade e Proporcionalidade em Corporate Governace, organizada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. E a sua actuação deve ser feita no âmbito do processo de financiamento da economia, alertou.

 

Para o responsável pelo supervisor, os bancos "devem fazer uma grande mudança na avaliação de risco" das empresas que financiam, "passando a concentrar a sua avaliação nos projectos e nos modelos de negócio", em vez de privilegiarem as garantias apresentadas. "Quando os bancos se refugiam nas garantias, os bancos estão a condescender com um modelo de empobrecimento" económico.

 

Segundo Carlos Costa, "em nome da sociedade, os bancos devem fazer uma avaliação do modelo de 'governance' das empresas". Isto porque se a alocação de poupanças é feita "numa lógica de recuperação de créditos pela execução de garantias" haverá uma transferência de riqueza dos bancos para empresas "inviáveis".

 

"A concessão de crédito que não aposta no projecto afasta a entrada de novos agentes", alertou o governador. Além disso, numa situação de incumprimento, "a vida das empresas pode ficar condicionada pelo facto de a preocupação dos bancos com a recuperação dos colaterais ser mais importante com a recuperação das empresas".




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
J. SILVA Há 2 dias

País miserável, em que as "pseudo élites" dirigentes não têm um mínimo de pudor em manter este mafioso no BP. Já passou mais que tempo para se formar um consenso para pôr este porco no olho da rua. Para além do mais emite opiniões que deveriam ser reservadas. Dá até a impressão que procura o caos.

Anónimo Há 2 dias

Mas é verdade está a ser preparada opa ao bcp bancos suíços com muito enterece.

Anónimo Há 2 dias

Não posso ver a cara deste sr. até me dá nojo. Nada do que ele diz me é credível.

OPA NO BCP SANTANDER ou FOSUN Há 2 dias


SANTANDER OU FOSUN UM DELES VAI FICAR MAIS DE 51 % DO MILENIUM BCP DEPOIS DE OPA E CONTRA OPA ......... SÓ SUBSISTE A DÚVIDA QUAL DELES SERÁ ........ MAS UMA COISA É CERTA O VALOR NUNCA SERÁ INFERIOR A 1 EURO POR AÇÃO

pub
pub
pub
pub