Banca & Finanças Carlos Costa: gestão do malparado não pode ficar fora dos bancos

Carlos Costa: gestão do malparado não pode ficar fora dos bancos

O governador do Banco de Portugal avisou que qualquer “externalização de venda de activos” irá penalizar o sistema bancário português.
Carlos Costa: gestão do malparado não pode ficar fora dos bancos
Bruno Simão/Negócios
Nuno Aguiar 28 de setembro de 2017 às 17:09

Numa conferência de homenagem a Henrique Medina Carreira, Carlos Costa sublinhou que se os bancos tiverem de recorrer a "qualquer modelo de externalização da venda de activos que não gerem rendimento" – leia-se crédito malparado – a banca portuguesa será penalizada.

 

"Uma das questões que distingue os países da União Europeia que participam na união bancária é o sistema de execução de créditos quando entram em incumprimento", afirmou. "Vai ser esse um dos factores que vai penalizar seguramente o sistema bancário português, se tiver de recorrer a qualquer modelo de externalização da venda de activos que não geram rendimento."

 

O governador lembrou ainda que tudo o que o sistema bancário poupa, acaba por ser recuperado via preços ou concessão de crédito, assim como mais condições para a sustentabilidade do sistema financeiro nacional.

 

A conferência desta tarde teve lugar na Fundação Calouste Gulbenkian e foi organizada pelo Fórum para a Competitividade.




pub