Agricultura e Pescas Carne pode ser taxada para reduzir emissões poluentes

Carne pode ser taxada para reduzir emissões poluentes

Com o gado a representar quase 15% das emissões de gases causadores do efeito de estufa e a previsão do aumento do consumo global de carne até meados do século, começam a procurar-se alternativas. Mas não só em termos fiscais.
Carne pode ser taxada para reduzir emissões poluentes
Bloomberg
Bloomberg 17 de dezembro de 2017 às 13:00
Depois do carvão e do açúcar, o próximo alvo possível de um imposto global é a carne.

Alguns investidores apostam que governos em todo o mundo vão encontrar uma forma de começar a tributar a produção de carne para melhorar a saúde pública e cumprir as metas estabelecidas para as emissões no Acordo do Clima de Paris. Investidores com um foco social começam a pressionar para as empresas diversificarem para proteínas vegetais, ou até mesmo a sugerir que os produtores de gado usem "preços-sombra" para a carne - semelhante a um preço interno de carbono - para estimar os custos futuros.

A carne pode ter o mesmo destino do tabaco, do carvão e do açúcar, actualmente tributados em 180, 60 e 25 jurisdições em todo o mundo, respectivamente, segundo o relatório do grupo de investidores FAIRR (Farm Animal Investment Risk & Return) Initiative. Deputados da Dinamarca, da Alemanha, da China e da Suécia debateram nos últimos dois anos a criação de impostos relacionados com a pecuária, uma ideia que encontrou forte resistência.

As emissões de gases causadores do efeito de estufa provenientes do gado representam cerca de 14,5% do total mundial, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, que projecta o aumento de 73% no consumo global de carne até meados deste século devido ao aumento da procura em economias como a Índia e a China. Isto pode resultar em custos de saúde e ambientais no valor de 1,6 biliões de dólares (1,36 biliões de euros à cotação actual), com impacto na economia global até 2050, segundo a FAIRR, sediada em Londres e criada pela Coller Capital.

"Os investidores começam a ponderar esta questão à semelhança do que fazem com a avaliação do risco climático", afirmou Rosie Wardle, que gere os compromissos de investidores na FAIRR. "Está agora mais assente que precisamos de enfrentar a questão da produção e do consumo de gado para atingir o limite de aquecimento global de dois graus."

Bebidas açucaradas

O possível impacto de um imposto sobre a carne pode ser semelhante aos impostos aplicados ao açúcar. Embora os impostos sobre o açúcar, destinados a combater a obesidade nos EUA, tenham enfrentado alguma resistência, foram aplicadas taxas semelhantes em 18 países e em seis cidades dos EUA, segundo dados compilados pela Bloomberg Intelligence. Quando o México criou um imposto especial sobre as bebidas açucaradas, em 2014, o consumo per capita dessas bebidas no país caiu 6% em 2014, 8% em 2015 e 11% no primeiro semestre de 2016, segundo o Instituto Nacional de Saúde Pública do México.

A ideia de taxar a carne tem sido limitada pelo receio de criar uma reacção política ao tributar os agricultores, afirmou a FAIRR no relatório.

Um fundo de capital de risco detido pela Tyson Foods fez na semana passada o segundo investimento na Beyond Meat. Esta empresa produz um hamburguer de base vegetal, um projecto que tem também o apoio do bilionário Bill Gates e de Leonardo DiCaprio e é vendido em milhares de supermercados e restaurantes dos EUA.

A Tyson comprou uma participação inicial de 5% na criadora deste hamburguer no ano passado, seguindo a proposta da accionista Green Century Capital Management, que pediu que esta empresa do sector aviário analisasse mais oportunidades na área das proteínas vegetais.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 17.12.2017

Como fazem na Suiça há já muitos anos!

Anónimo 17.12.2017

Uma alimentação saudável: Peixe, legumes e fruta. Portugal pode aproveitar a água salgada para ter viveiros de muito peixe.

Dono dos Burros 17.12.2017

Concordo. Mas acho que se devia começar pelos cus dos panascas (gays como agora parece que gostam de ser chamados). Comecemos pelo óbvio se não se importam. O Capitalismo encontrará sempre um forma de fazer dinheiro, até na corda que venderá aos Comunistas para o enforcarem. Que assim seja e depress

Saber mais e Alertas
pub