Energia Carregamento rápido do carro eléctrico nas cidades vai custar até três euros

Carregamento rápido do carro eléctrico nas cidades vai custar até três euros

Estes preços vão ser cobrados nos 14 pontos de carregamento rápido que vão ser instalados até 8 de Janeiro nas principais cidades portuguesas, incluindo Lisboa e Porto, avança o Público.
Carregamento rápido do carro eléctrico nas cidades vai custar até três euros
Pedro Elias
Negócios 21 de Dezembro de 2016 às 09:47

O carregamento rápido do carro eléctrico vai custar entre 1,5 euros e três euros. Este é o valor estipulado para os 14 postos de carga rápida que vão ser instalados nas principais cidades portuguesas.

O valor foi adiantado pelo ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, ao jornal Público esta quarta-feira, 21 de Dezembro, que apontou que usar um carro eléctrico terá um custo "incomparavelmente mais baixo" do que um veículo movido a gasóleo ou gasolina.

O tempo para recarregar um veículo eléctrico nestes postos varia entre os 20 e os 30 minutos.

Estes preços vão ser cobrados nos 14 pontos de carregamento rápido que vão ser instalados até 8 de Janeiro: dois em Lisboa e dois no Porto, além de um em cada uma destas cidades: Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Braga, Cascais, Loures, Aveiro, Évora, Valença, Viana do Castelo e Vila Real.

No concurso público lançado - e que foi repetido por problemas nas assinaturas digitais -, a Mobielectric, do grupo C. Santos, foi a empresa que arrebatou mais postos: oito no total, avança o Público.


Já a EDP ganhou cinco postos (Aveiro, Évora, Valença, Viana do Castelo e Vila Real), enquanto a Prio ficou com um posto (Coimbra).

Dos 50 postos de carga rápida previstos, apenas estão garantidos 35 postos. O Governo aponta que a "negociação nem sempre tem sido completamente pacífica", em particular com os concessionários das estações de serviço que olham para os carros eléctricos como um "potencial concorrente".




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

É tudo muito bonito, mas a diferença não é real, pois quanto fica o aluguer da bateria por mês????

bazanga Há 4 semanas

Muito caro. Até o carro eléctrico ser norma devia ser grátis.

Resposta de TBritesa bazanga Há 4 semanas

A gasolina era grátis até o carro a motor de combustão ser norma?!

Anónimo Há 4 semanas

QUAL É A UNIDADE DE MEDIDA???? Se for para carregar os 10kWh de um carro plugin (e andar uns 40Km) custa o mesmo que um carro diesel. Se for para carregar 90kWh (bateria de um Tesla), pergunto quem vai pagar a diferença entre esses 1,5-3€ e os 4€ que esses 90kWh custam no MIBEL. É o contribuinte?

Anónimo Há 4 semanas

O problema é o custo de aquisição! De que interessa pagar mais 17.500€ por um Opel Ampera em relação a um Opel Meriva Tourer 1.6 CDTI?
A poupança de combustível em 8 anos ou 160.000 Km (período de garantia do sistema de tração incluindo a bateria) é de cerca de 5.000€, sem falar da revenda usada

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub