Transportes Carris vai investir 80 milhões até 2019

Carris vai investir 80 milhões até 2019

A maior parte da verba será aplicada na renovação da frota, que passa a servir também as redes de bairro que serão criadas.
Carris vai investir 80 milhões até 2019
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 10 de maio de 2017 às 11:44

O presidente da Carris, Tiago Farias (na foto), anunciou esta quarta feira, 10 de Maio, que a empresa que em Fevereiro passou para a Câmara de Lisboa, vai investir entre 2017 e 2019 um total de 80 milhões de euros, dos quais cerca de 61 milhões na renovação da frota.

 

Na apresentação do orçamento para 2017 e do plano estratégico até 2019, o responsável salientou as acções que tem previsto desenvolver no triénio.

 

Entre elas destacou a aquisição de 250 novos autocarros maioritariamente movidos a energias alternativas, a contratação de 200 novos motoristas e a implementação das redes de bairro.

 

No total, a Carris vai criar 21 novas linhas de bairro cobrindo todas as freguesias, quatro das quais - em Marvila, Olivais, Parque das Nações e Santa Clara - avançam em Julho.

Nas 12 acções que vão ser implementadas está ainda previsto a expansão da rede de eléctricos com o alargamento do 15 a Santa Apolónia/terminal de cruzeiros.

 

A Carris tem ainda prevista a implementação de linhas "bus" de alto desempenho e o projecto "Park & Bus" com a EMEL.

 

A adopção de tarifários especiais na adesão ao sistema público de bicicletas partilhadas para utentes da carris e a instalação de wi-fi gratuito, já a ser testado na linha 15, são outras das medidas previstas.

 

Tiago Farias sublinhou na conferência de imprensa que é com estas medidas que a empresa quer parar o declínio e recuperar a oferta.

 

Segundo disse, entre 2011 e 2016 a empresa perdeu 40 milhões de passageiros por ano, 650 colaboradores e 50 autocarros.


(notícia actualizada às 12:34)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub