Automóvel Carro eléctrico de Lisboa ao Porto sem stress a partir de Janeiro

Carro eléctrico de Lisboa ao Porto sem stress a partir de Janeiro

A rede de postos de carga rápida na Auto-estrada do Norte vai ficar concluída no início do próximo ano. Os utilizadores do carro eléctrico vão passar a viajar na A1 sem se preocuparem com o estado da bateria.
A carregar o vídeo ...
André Cabrita-Mendes 21 de dezembro de 2016 às 22:00

As duas principais cidades portuguesas estão separadas por mais de 300 quilómetros. Mas nas próximas semanas, Lisboa e Porto vão ficar mais próximas, para quem conduz um carro eléctrico.

A rede de postos de carga rápida de carros eléctricos na Auto-estrada do Norte (A1) vai ficar concluída no início de 2017. A data para a conclusão do projecto foi avançada ao Negócios por fonte oficial do Ministério do Ambiente.

É certo que já existiam alguns postos nesta auto-estrada, mas na verdade a viagem tinha que ser planeada cuidadosamente pelos utilizadores de veículos eléctricos, pois corriam o risco de ficarem apeados a meio do caminho.

"A conclusão dos postos vai facilitar a viagem entre Lisboa e Porto." Henrique Sánchez, Presidente da UVE

Tudo vai mudar no curto prazo, pois a rede de postos de carregamento rápido vai ficar concluída em Janeiro, com a instalação de seis novos postos, três em cada sentido, na Auto-estrada do Norte (A1): dois na zona de Estarreja, dois na zona da Mealhada e dois na zona de Santarém.

Actualmente já existem quatro postos nas estações de serviço da Galp em Pombal e de Aveiras de Cima.

Os condutores vão passar assim a ter disponíveis 10 postos de carga rápida nos 315 quilómetros de extensão da A1.

"A conclusão destes postos vai facilitar completamente a viagem entre Lisboa e Porto", analisa o presidente da Associação dos Utilizadores de Veículos Eléctricos (UVE), Henrique Sánchez.

O Governo tem previsto instalar 50 postos de carga rápida até ao final do primeiro trimestre de 2017. Em declarações ao jornal Público, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, apontava que a meta de 50 postos poderá ficar aquém do previsto, com 35 postos de 50 kilowatts cada no total. 

Assim, no início do próximo ano, o Governo prevê concluir a instalação dos 35 postos de carga rápida, tanto em auto-estradas como em cidades.

A conclusão do projecto inicial de postos de carga rápida da rede Mobi.e foi bem recebida pelos utilizados do carro eléctrico.

"São notícias extremamente positivas. Isto é muito positivo para os utilizadores", disse ao Negócios Henrique Sánchez, presidente da UVE.

Inicialmente, os carregamentos vão ser gratuitos, mas a rede de postos de carga rápida na via pública vai começar a cobrar assim que os postos estiverem instalados, o que vai acontecer, precisamente, nos primeiros meses de 2017.

As vendas de carros eléctricos em Portugal continuam imparáveis. Nos primeiros 11 meses deste ano, as vendas cresceram 37,5%, para um total de 660 viaturas face a 2015, segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Os utilizadores de carro eléctrico apontam que a conclusão da rede dos postos de carga rápida vai contribuir para o crescimento das vendas.

"É evidente que vai despoletar as vendas", afirma Henrique Sánchez, apontando que o quadro fiscal para 2017 também vai ajudar ao aumento das vendas.

Nissan Leaf domina as vendas

As vendas de carros eléctricos cresceram 37,5% até Novembro. Analisado por modelos, o Nissan Leaf domina as vendas com 290 unidades, mais 66% face a 2015, segundo dados da ACAP. Segue-se o BMW i3 com 159 unidades (79%), com o Renault Zoe a fechar o pódio com 140 unidades vendidas (56%). Destaque também para o crescimento das vendas do Volkswagen Golf eléctrico, num total de 17 unidades (54,5%). Em termos de crescimento por percentagem, o modelo que registou a maior subida foi o Kia Soul (733%), com 25 unidades. Entre 2000 e 2016, foram vendidos um total de 1.978 carros eléctricos. As vendas de 2016 já superaram as do melhor ano (2015), faltando ainda um mês para acabar o ano.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 23.12.2016

Sr xxx
Está muito mal informado, recomendo que leia estudos sobre a revolução dos VE.

Pedro Santos 23.12.2016

Por princípio sou adepto do carro eléctrico. A questão é que, e de momento, tanto para empresas ou particulares, não é justificável o TCO, nem a flexibilidade de utilização. Alguém comentou as capacidades do Tesla, mas enfim, não é para todas as bolsas...

Tereza economista 22.12.2016

Devem criar na faixa direita das autoestradas linhas elétricas para carregamento em andamento. Isso sim.

Anónimo 22.12.2016

Seria bom que os responsáveis da Auto Europa começassem a fabricar em Portugal carros eléctricos antes da Tesla.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub