Aviação Carro voador da Airbus terá protótipo até ao fim do ano

Carro voador da Airbus terá protótipo até ao fim do ano

Terá condução autónoma, capacidade para transportar um passageiro e poderá ser chamado através de uma aplicação, como acontece hoje em serviços como a Uber.
DR/Airbus DR/Airbus DR/Airbus DR/Airbus DR/Airbus
Negócios com Reuters 16 de janeiro de 2017 às 17:00

A Airbus, fabricante aeronáutica europeia, espera ter pronto até ao fim deste ano o protótipo de um carro voador de condução autónoma, defendendo que pode ser uma solução para o trânsito congestionado nas grandes cidades.

O anúncio foi feito pelo CEO do grupo, Tom Enders, na conferência digital DLD em Munique, Alemanha, citado pela Reuters. O veículo, com capacidade para transportar uma pessoa, poderá ser chamado através de uma aplicação no telemóvel, como hoje acontece com serviços como a Uber ou Mytaxi.

"Há cem anos, o transporte urbano tornou-se subterrâneo, agora temos a possibilidade tecnológica de ir além do solo. (…) Estamos numa fase de experiência, levamos este desenvolvimento muito a sério" afirmou o responsável.

No ano passado a Airbus instituiu uma divisão interna, designada Mobilidade Urbana Aérea (Urban Air Mobility em inglês) que investiga e desenvolver conceitos de transporte individual ou veículos semelhantes a helicópteros que permitam transportar várias pessoas ao mesmo tempo.

Além de permitir reduzir a poluição, as vantagens identificadas pela Airbus neste sistema incluem ainda o menor custo no desenvolvimento de infra-estruturas, como estradas ou pontes.

A empresa está envolvida na concepção do Vahana, um veículo voador autónomo para transporte individual de passageiros e de carga, e também do CityAirbus, que poderá transportar mais do que um passageiro.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 dias

Até ficar acessível ao comum dos mortais vai uma grande diferença. Os preços no inicio serão sempre enormes, só quem tem altos rendimentos vai poder dar-se ao luxo de tal serviço.

Sofia Há 5 dias

Agora é que os taxistas vão subir pelas paredes

pub