Turismo & Lazer Casinos crescem mas queixam-se de garrote fiscal
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Casinos crescem mas queixam-se de garrote fiscal

Nos últimos três anos, os casinos já recuperaram um terço dos 120 milhões de euros de receitas que perderam nos seis anteriores, a que acrescem as apostas online. Mas os donos da roleta física refreiam o optimismo e queixam-se do “garrote fiscal” que afecta o sector.
Casinos crescem mas queixam-se de garrote fiscal
Rui Neves Rosa Castelo - Infografia 28 de janeiro de 2018 às 21:17

As receitas brutas dos casinos cifraram-se em 309,2 milhões de euros em 2017, o que representa um acréscimo de 13,3 milhões (mais 4,5%) face à facturação registada no ano anterior. Os jogos bancados (como a

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Devia ser proibido 29.01.2018

Tripliquem os impostos ou proíbam os casinos

A TAXA DEVE SER A MÁXIMA SOBRE CASINOS 28.01.2018

Queixam-se de garrote fiscal ?

Qual é a riqueza que é criada com a laboração de um casino ?
Muito pelo contrário, o que ocorre é a destruição de fortunas, quando não de vidas.
Neste pressuposto, eu, se fosse governante, taxaria os casinos com o máximo que pudesse.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
Saber mais e Alertas
pub