Agricultura e Pescas Castanhas "não têm qualidade" e cerca de um terço está podre

Castanhas "não têm qualidade" e cerca de um terço está podre

As castanhas este ano "não têm qualidade" devido à seca que se faz sentir e, em média, cerca de "seis em cada vinte quilos" estão secos e podres, afirmou hoje à Lusa a vendedora de castanhas Jéssica Monteiro.
Castanhas "não têm qualidade" e cerca de um terço está podre
Lusa 25 de outubro de 2017 às 16:27
"Numa saca de 20 quilos, há seis quilos podres [cerca de um terço], em média", disse Jéssica Monteiro, que vende castanhas na Baixa de Lisboa, à Lusa.

De acordo com a vendedora, "não há quase lucro nenhum", porque muitas castanhas não são aproveitadas.

"Este ano a castanha tem menos qualidade porque não apanhou humidade", explicou.

O preço do quilo das castanhas está mais caro, mas alguns vendedores não conseguem aumentar os seus preços para os consumidores, por isso, este será um ano "complicado", referiu Jéssica Monteiro.

"Não vai ser um ano fácil para a castanha", disse a vendedora do fruto seco Maria Teixeira, também na Baixa Pombalina, reforçando que este ano teve de aumentar o preço da dúzia das castanhas, de dois euros para dois euros e meio.

No Terreiro do Paço, mãe e filha, Teresa e Sofia Teixeira, são vendedoras de castanhas e mencionaram que, "com este clima, as pessoas nem querem castanhas".

Este é "dos piores anos da castanha", respondiam enquanto trabalhavam.

Na promoção, em Lisboa, da castanha de Sernancelhe e da festa da castanha naquela cidade, o vereador da Cultura daquele município, Armando Mateus, disse à Lusa que a seca "trouxe muitos problemas" e houve um "decréscimo" do fruto de 50 a 60%.

Segundo o autarca, alguns produtores tiveram uma quebra de produção na ordem dos 80%.

Na apresentação, em Lisboa, da festa da castanha Armando Manuel explicou que o castanheiro entrou em "fase de saturação" e isso fez com que a produção do fruto fosse "muito baixa".

Além disso, a qualidade do fruto baixou devido à falta de chuva e a um parasitóide que a castanha tem, que se "desenvolve muito mais depressa nos anos de muita seca", esclareceu o vereador.

"Este ano, além da baixa quantidade temos também alguns problemas com a sua qualidade", reforçou.

Opinião contrária tem o confrade da confraria da castanha Paulo Neto, para quem a castanha de Sernancelhe chega este ano "com muita qualidade aos consumidores".

A festa da castanha de Sernancelhe vai realizar-se sexta-feira, sábado e domingo no Expo Salão da vila do distrito de Viseu.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 3 semanas

Diz o ditado:castanhas o burro caga-as tamanhas.NAo se pode ter tudo:ou se trabalho na defesa do q a natureza nos da,ou se deixa queimar tudo.Miseralvel/ a gerigonca nao presta para o trabalho,nem para receber conselhos.Tem PALAS como os burros para olharem so numa direcao e e sempre na direcao erra

Saber mais e Alertas
pub