Empresas Castro Henriques sobe a presidente da Aicep

Castro Henriques sobe a presidente da Aicep

O Governo terá optado por uma solução interna para a sucessão de Miguel Frasquilho, avança o Eco. A equipa ainda terá de ser aprovada em conselho de ministros, mas os actuais vogais não serão reconduzidos.
Castro Henriques sobe a presidente da Aicep
DR/Richter Frank-Jurgen
Negócios 13 de fevereiro de 2017 às 07:56

Luís Filipe de Castro Henriques, até aqui vogal da administração da Aicep, será o novo presidente do organismo público, substituindo Miguel Frasquilho. A notícia é avançada na manhã desta segunda-feira, 13 de Fevereiro, pelo Eco.


Entre os membros da nova equipa deverão estar João Rodrigues, que esteve no gabinete de José Sócrates, António Silva – até agora na delegação de Paris da Aicep – e Madalena Oliveira da Silva, actualmente com a pasta dos projectos de potencial interesse nacional (PIN).

De acordo com o mesmo meio, nenhum dos outros membros da administração será reconduzido nos cargos que ocupa e regressarão por isso aos seus lugares de origem. A equipa – que contará com mais uma mulher - terá ainda de ser aprovada em conselho de ministros.

Castro Henriques sucederá a Miguel Frasquilho, que no final do ano passado anunciou a intenção de sair da agência responsável pela captação de investimento estrangeiro.

O futuro presidente da Aicep é licenciado em Economia pela Universidade Católica e tem um mestrado igualmente em Economia pela Universidade de Cambridge, além de um MBA pelo INSEAD, refere o curriculum publicado no site da Aicep. Antes de entrar na agência colaborava com o grupo EDP, nas áreas de marketing e inovação e passou também pela consultora McKinsey & Company, tendo sido adjunto do ministro das Actividades Económicas e do Trabalho e da secretária de Estado da Habitação.

Ao Negócios, fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que "foi solicitado o necessário parecer a Cresap sobre a nova administração da Aicep. Logo que o parecer seja recebido, o Conselho de Ministros terá a possibilidade de aprovar o conselho de administração. Feita essa aprovação, será imediatamente dada nota pública".

(Notícia actualizada às 9:50 com reacção do Ministério dos Negócios Estrangeiros)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
PPD 13.02.2017

o Frasquilho era outro AITO QUADRO do BES por isso devia ser reconduzido pelos BONS SERVIÇOS PRESTADOS.....

Anónimo 13.02.2017

Começa o PS e os amigos do Sócrates a mexer em tudo o que é estado. Rápido antes que cheguem eleiçoes!

pub