Empresas Cavaco Silva presta "reconhecimento em nome de Portugal " à indústria do calçado

Cavaco Silva presta "reconhecimento em nome de Portugal " à indústria do calçado

Sector do calçado é composto por 1700 empresas, responsáveis por mais de 41 mil postos de trabalho e que exportaram 95% da sua produção para 150 países em 2013.
Cavaco Silva presta "reconhecimento em nome de Portugal " à indústria do calçado
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 14 de novembro de 2014 às 13:30

O Presidente da República prestou homenagem "em nome de Portugal" à indústria do calçado. Este sector tem estado em crescimento e a criar emprego num momento de crise para o país. Devido a estes resultados positivos, Cavaco Silva dedicou a terceira jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica a esta indústria.

 

"Quero felicitar empresários e trabalhadores pelo sucesso e prestar em nome de Portugal o reconhecimento, elogio e homenagem", disse o Chefe de Estado esta sexta-feira, 14 de Novembro em Guimarães.

 

"O sucesso da indústria do calçado é um factor de confiança no país. Desde logo, o significativo aumento do emprego no terceiro trimestre e o crescimento de produção hoje revelado pelo INE", afirmou.

 

O Presidente fez um retrato do sector do calçado: são 1.700 empresas, responsáveis por mais de 41 mil postos de trabalho e exportaram 95% da sua produção para 150 países em 2013. "As exportações ultrapassaram pela primeira vez em 2013 os 1.700 milhões de euros, cresceram 8% e contribuíram 1.300 milhões para o saldo da balança".

 

"O calçado português detém o segundo maior preço médio do mundo, pela criatividade e sofisticação e conquistada a escala internacional em todos os mercados", disse. "As exportações para fora da União Europeia duplicaram nos ultímos quatro anos, como para a China, Estados Unidos, Russia e Japão", 

 

Nesta homenagem ao calçado, o Presidente também condecorou sete empresários e elogiou o acordo obtido entre os patrões - representados pela APICAPS (Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes e Artigos de Pele) e os sindicatos do sector.

 

"A APICAPS e a federação de sindicatos chegaram a um acordo para um novo contrato de trabalho. A APICAPS considerou que este era o momento certo para partilhar o sucesso com os seus trabalhodores. E vai fazer uma actualização da massa salarial em 3,5%", revelou.

 

O plano estratégico elaborado pela APICAPS foi elogiado. Este documento traça um rumo para a indústria nos próximos anos sendo assim um sinal de que o "sector não pretende descansar sobre o sucesso alcançado"

 

O Presidente da República considera que é preciso combater o pessimismo e por isso abordou os resultados do Índice Global de Prosperidade, um estudo anual que avalia diversos indicadores de 142 países. Segundo o ranking deste ano, Portugal figura na 27ª posição do estudo do think tank inglês Legatum Institute.

 

"Face ao negativismo que se difunde na comunicação social todos os dias, existe algum conforto em saber que apenas 26 países no mundo são mais prósperos que Portugal em mais de 190 países que existem no mundo", disse Cavaco Silva.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado António Roubado Há 1 semana

Estou farto de jornalistas papagaios....
Lá porque o Cavaco diz que estamos melhores não é uma verdade assumida. É função do jornalista ir verificar e analisar os factos, mesmo que de modo neutro.
Se se analisar o índice vemos que relativamente a 2013 descemos na Saúde, Educação e no apoio social. Um país é para além de um território um povo e este é o sente na pele aqueles indices. Será que interessa saber que aumentámos o nº de ricos, mesmo que melhor o indice. As palavras do Cavaco são demagógicas e devem ser colocadas dentro do contexto pelo jornalista é claro.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

O Sr. Presidente condecorou o Sr. Durao Barroso pelos relevantes serviços prestados à Pátria como Presidente da Comissao Europeia. Que relevantes serviços pode saber-se ? Foi para lhe agradecer que, nao só lhe pendurou o colar ao pescoço como ainda lhe ofereceu como bónus a colocaçao do seu filho no Banco de Portugal, ilegalmente, porque nao tendo sido submetido ao respectivo concurso como todos os outros ?
O Sr. Presidente condecorou sete empresários da indústria do calçado, elogiou o acordo obtido entre os patroes e os sindicatos do sector, mas nem uma palavra se dignou ter para com todos aqueles que estao na base de tal sucesso e que se chamam * trabalhadores *.
O Sr. Presidente considera que é preciso combater o pessimismo,pelo que citou os resultados do Indice Global de Prosperidade segundo o qual no ranking deste ano, Portugal figura na 27.a posiçao do estudo do thing tank Legatum Institute.
O estudo avalia diversos indicadores de 142 países, mas o Sr. Presidente considera de algum conforto saber que apenas 26 países no mundo sao mais prósperos que Portugal,
em mais de 190 países que existem no mundo, segundo afirma. Em que é que ficámos, se o estudo apenas fala de 142 países ? Como de costume, o Sr. Presidente nunca se engana,
como de costume nunca diz nada acertado.
Falou do BES como de um Banco muito sólido, quando este foi solicitar um empréstimo aos
mercados, para assistir à sua falência poucos dias depois. Após TER ENGANADO OS PORTUGUESES COM A SUA DOUTA OPINIAO, após ter condecorado certos gestores da PT para que esta se encontre na actual posiçao, teve a desfaçatez de, pouco tempo depois de todo este descalabro, aconselhar os portugueses a questionarem-se sobre o que andaram a fazer os Gestores e os Accionistas da PT?O que o Sr. Presidente nao diz, porque
amnésico quando lhe convém, é que os tais gestores andaram a manobrar a empresa para garantir benesses e bons negócios aos amigalhaços, entre os quais se encontra a sua família. Ou será que ignora que o " agora seu " Pavilhao Atlântico se chama MEO Arena ?
E já que o Sr. Presidente interroga os Portugueses permita-me, como cidadao no pleno uso
dos seus direitos cívicos, que lhe pergunte porque retirou o seu dinheiro e o da sua filha do
BPN poucos dias antes da sua falência, quando todos sabemos que o Sr. nomeou o seu amigo Sr. Dias Loureiro como Conselheiro de Estado e que este, devendo-lhe os favores da sua nomeaçao como ministro nos seus tempos de Primeiro-Ministro, certamente o nao deixaria da avisar sobre a catástrofe que se aproximava. E já agora, insisto, porque é que o nao demitiu de imediato quando se soube que o dito senhor estava metido no grande des vio desses dinheiros ?
E que andaram a fazer os accionistas da PT ? A roubar a empresa para garantir dinheiro pa
ra eles e para os amigos, entre os quais o Sr. Presidente se encontra. Nao foi o BES que, com uma parte do roubo que fez na PT e que todos nós teremos de pagar, lhe pagou as suas campanhas eleitorais em mais de 250.000,00 euros ?
Nao Sr. Presidente, se negativismo há na comunicaçao social é porque os podres de uma certa parte dos políticos que servem a República nao sao devidamente punidos pelos tribunais, manietados como estao por leis elaboradas para benefício dos que as criam, sem que o Sr. se insurja contra o que se passa. E será que poderia fazê-lo com este curriculum ?




Grilo Há 1 semana

Cuidado...onde Ele vai a coisa corre mal a seguir. Veja-se a condecoração de Z.B.

Anónimo Há 1 semana

É só o que resta. Após a PT e a TAP ...Estamos a atingir as mais amplas liberdades. AdP (adubos) foi vendida (espanhóis). Em Sines é quase tudo estrangeiro. Estaleiros navais, já fostes. Estarreja, idem. O tuga nunca foi de grandes coisas. É só de compra e venda, restauração, padeiros, putas e paneleiros (turismo). Com os descobrimentos traziam-se os ouros e outros e logo se vendiam para enriquecimento rápido (?). Ah, fez-se o Convento de Mafra. Compra e venda de escravos. Nas artes, comprava-se tudo a holandeses e italianos. 2014 - 40 anos de roubos e vigarices; sector bancário um exemplo. Ah, temos auto-estradas e hospitais, mas com a ajuda da UE.

Não há pachorra Há 1 semana

Em nome de Portugal? Mas este senhor ainda representa alguma coisa? Só contaram para ele.

ver mais comentários
pub