Banca & Finanças CDS convoca Vara à comissão da CGD para salvaguardar a sua "dignidade pessoal"

CDS convoca Vara à comissão da CGD para salvaguardar a sua "dignidade pessoal"

Depois de o PSD ter avançado com a chamada a Mário Centeno e a António Domingues, o CDS pediu a audição do ex-administrador do banco público. E baseia-se na carta que Vara usou. 
CDS convoca Vara à comissão da CGD para salvaguardar a sua "dignidade pessoal"
Pedro Aperta
Diogo Cavaleiro 02 de fevereiro de 2017 às 18:45

O CDS convocou Armando Vara para ser ouvido na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos. O nome já tinha sido avançado por vários grupos parlamentares em Julho passado, no arranque da iniciativa, mas agora os centristas pedem a audição.

 

Os deputados do CDS-PP requerem a audição de Vara, que foi administrador da CGD entre 2005 e 2008 com base na carta que o próprio enviou para a comissão de inquérito em Junho.

 

Nessa missiva, Vara afirmou que era "imperioso que, para defesa do bom nome, em primeiro lugar da própria instituição e, em segundo, de todos os que nela trabalharam e trabalham, seja realizada uma inquirição pública, totalmente transparente e aberta, da sua gestão ao longo dos anos". "Para 'salvaguardar' a sua 'dignidade pessoal e profissional'", Vara colocou-se à disposição do Parlamento na altura, quando arrancavam os trabalhos da comissão. 

 

Contudo, neste momento, os partidos de esquerda já fizeram saber que só querem ouvir mais quatro personalidades: António Nogueira Leite, Álvaro Nascimento e representantes do Tribunal de Contas e da Inspecção-Geral de Finanças. 

 

Vara não se encontra neste grupo mas, mesmo assim, o CDS pediu a inquirição. O PSD fez o mesmo ao convocar Mário Centeno e António Domingues, que o PS já anunciou que iria rejeitar.

 

Sendo chumbadas, as audições podem ser convocadas de forma potestativa. O PSD pode convocar oito pessoas de forma potestativa, o CDS duas. 


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.02.2017

Reparem na foto, a mão direita.

pub
pub
pub
pub