Empresas Central de Cervejas adquire distribuidora Sodicel

Central de Cervejas adquire distribuidora Sodicel

Dona da Sagres e da Luso reforça rede de distribuição no canal Horeca ao somar actividade de empresa de Leiria, com um volume de negócios de 37,9 milhões de euros
Isabel Aveiro 07 de novembro de 2012 às 13:52
A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC), detida em 100% pela Heineken, vai adquirir a empresa distribuidora Sodicel, anunciou hoje a dona da Sagres.

Em comunicado, a administração da SCC afirma que celebrou um acordo, “pelo qual a NSDU, sociedade do grupo” se propõe “adquirir a actividade de comercialização e distribuição de bebidas da Sodicel”.

A direcção da SCC, que não revela na comunicação oficial qual o valor do negócio, explica ainda que “com esta operação, a NSDU passará a cobrir todos os territórios assegurados presentemente pela Sodicel, suportada, para o efeito, em todos os colaboradores desta última, bem como nos meios materiais afectos à venda, pós-venda, distribuição e armazenagem que vêm sendo utilizados pela Sodicel”.

Com a operação, a SCC passa a controlar uma “carteira cerca de 10 mil clientes”, estabelecimentos de restauração e bebidas, acrescenta o comunicado. O canal Horeca – hotéis, restaurantes e cafés tem sido o mais penalizado na queda de consumo verificada este ano, já que à retracção provocada pela crise, viu as suas vendas deterioradas por um aumento do IVA para a taxa máxima, de 23%, em 2012.

Distribuidora tem activos de 32 milhões de euros

A Sodicel, pela descrição da mesma nota de informação enviada às redacções, “iniciou a sua actividade como distribuidor da SCC em 1959”, em Leiria, cobrindo ainda o distrito de Castelo Branco e “zonas dos distritos de Lisboa e Santarém”. Ainda de acordo com a mesma informação da SCC, a Sodicel emprega “mais de 230 colaboradores”.

Constante como 26ª da lista, a Sodicel integra o “ranking” de 250 maiores empresas do distrito de Leiria, publicadas ainda esta semana. Com dados referentes ao ano de 2011, a companhia é apontada como tendo registado nesse ano um volume de negócios de 37,95 milhões de euros, o que representou uma quebra de 7%, de acordo com a mesma fonte.

Nesse ano, a companhia distribuidora lucrou 85,7 mil euros. O activo foi avaliado em 32,3 milhões de euros. O capital próprio era em 2011 de 6,02 milhões de euros, altura em que a empresa contabilizava 286 colaboradores.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub