Energia Central eléctrica de biomassa de Mortágua atingida pelos incêndios

Central eléctrica de biomassa de Mortágua atingida pelos incêndios

A central detida pela EDP e pela Altri foi afectada pelo fogo que lavrou junto à barragem da Aguieira, distrito de Viseu, no domingo. A produção está suspenda e os danos materiais estão a ser avaliados.
Central eléctrica de biomassa de Mortágua atingida pelos incêndios
Cofina Media
André Cabrita-Mendes 17 de outubro de 2017 às 15:34

A central de biomassa de Mortágua detida pela Altri e pela EDP foi atingida pelos incêndios registados naquela zona no domingo. A central fica localizada junto à barragem da Aguieira, concelho de Mortágua, distrito de Viseu.

"A Central de Aproveitamento Energético de Biomassa Florestal Residual (BFR) de Mortágua, detida pela Altri e pela EDP, foi afectada pelos incêndios que deflagraram no passado domingo, naquela região do país", segundo uma nota da EDP divulgada esta terça-feira, 17 de Outubro.

A eléctrica adianta que "nenhum colaborador ficou ferido, tendo toda a equipa presente no local actuado de forma correcta face aos acontecimentos que se sucederam". E sublinha que os "danos materiais na central estão em avaliação".


Para já, a "operação foi suspensa até que possam ser asseguradas as condições de segurança. A Altri e a EDP estão a controlar a situação, que está circunscrita ao parque de biomassa".

A parceria entre a EDP e a Altri conta com quatro centrais de produção de biomassa florestal: Mortágua com 9 megawatts hora (MWh) de potência instalada; Ródão com 13 MWh; Figueira da Foz com 28 MWh; Constância com 13 MWh.

Os fortes fogos que se fizeram sentir junto à barragem da Agueira no domingo também danificaram o empreendimento turístico da Visabeira. O Montebelo Aguieira Lake Resort & SPA esteve cercado pelos fogos no domingo, mas a situação ficou controlada nesse mesmo dia.

A central de Mortágua transforma anualmente 137 mil toneladas de resíduos florestais em electricidade, o suficiente para abastecer durante cinco meses 144 mil lares, segundo dados avançados pela Lusa em Agosto.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 dia

O excedentarismo e sobrepagamento eleitoralistas, podem ser, para além de manifestamente íniquos e insustentáveis como já se sabia, assassinos.

Camponio da beira Há 1 dia

A foto mostra um lugar de excelencia para contrfogo, mas claro, é melhor deixar arder...pelo menos é à conclusão que consigo chegar.

Anónimo Há 1 dia

Cá para mim foi a concorrência das energias alternativas que provocou o incêndio...

pub