Banca & Finanças CEO da Allianz Portugal: "Ainda é muito cedo para falar" de dividendos do BPI
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

CEO da Allianz Portugal: "Ainda é muito cedo para falar" de dividendos do BPI

A líder da Allianz em Portugal está confiante com o futuro do BPI após a oferta pública de aquisição do CaixaBank, onde a companhia optou por não alienar a participação.
CEO da Allianz Portugal: "Ainda é muito cedo para falar" de dividendos do BPI
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 17 de fevereiro de 2017 às 00:01

A líder da Allianz em Portugal está confiante com o futuro do BPI após a oferta pública de aquisição do CaixaBank, onde a companhia optou por não alienar a participação.

Por que motivo a Allianz não vendeu a posição de 8% no BPI ao CaixaBank?

Primeiro que tudo, o grupo Allianz apoiou a OPA do La Caixa ao BPI e tem um acordo com o BPI. O BPI é accionista da Allianz Portugal e o grupo Allianz decidiu que deveria manter a participação no BPI.

As participações cruzadas continuam?

Sim. E mantemos os acordos de distribuição. Ou seja, no fundo, o que nós queremos é manter a nossa relação com o BPI tal e qual como está.


Agora há um novo "player", o CaixaBank. Há alguma oportunidade ou riscos pela frente? 

Quando o grupo Allianz decidiu apoiar o La Caixa na OPA que fez ao BPI, uma parte do acordo era que o acordo de distribuição com a Allianz se mantivesse. Ou seja, que nada mudasse em relação àquilo que estava acordado antes. Portanto… Ficámos bem.

E estão confortáveis com a escolha para a gestão?

Dado que estive o ano passado todo em Espanha e estive ligada precisamente à gestão bancária, conheço o La Caixa como principal "player" do mercado espanhol. E, na verdade, o que assisti no ano passado com o La Caixa foi a uma recuperação incrível, a meio do ano, dos seus negócios de fundo de investimento e seguros de vida, dado o seu conhecimento, a sua agressividade comercial e o seu dinamismo. Portanto, acho que o BPI vai ter muito a ganhar e se o BPI tiver muito a ganhar, se houver mais dinamismo comercial, a Allianz também vai ter.
 
Quando é que esperam agora que haja dividendos deste vosso investimento?

Acho que ainda é muito cedo para falar nisso. Vamos deixar a OPA concretizar-se, o BPI reestruturar-se, as coisas começarem a funcionar, haver um plano, que acho que é intenção dos accionistas, e depois então falaremos dos dividendos. O importante é que o BPI se mantenha um banco solvente.

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub