Empresas CEO da BlackRock antecipa "sombras negras" no mercado e diz que vive em "mundo bipolar"

CEO da BlackRock antecipa "sombras negras" no mercado e diz que vive em "mundo bipolar"

A persistência de pressões deflacionistas (na expectativa de medidas proteccionistas) e o efeito que o choque fiscal de Trump pode ter no aumento dos salários levam Larry Fink a revelar-se "muito confundido".
CEO da BlackRock antecipa "sombras negras" no mercado e diz que vive em "mundo bipolar"
Bloomberg
Negócios 08 de fevereiro de 2017 às 15:44

O presidente executivo da maior gestora mundial de activos considera que a actividade empresarial está a registar um período de abrandamento devido à incerteza em torno das políticas da administração norte-americana, que ameaçam criar efeitos opostos.


"Vejo uma série de sombras negras. (…) Os mercados estão, provavelmente, a precipitar-se," afirmou na cimeira Yahoo! Finance All Markets esta quarta-feira, 8 de Fevereiro, Larry Fink, CEO da Blackrock, citado pela Bloomberg e pela Reuters.


Segundo o responsável, vão continuar a existir pressões deflacionistas na economia pelo impacto de eventuais medidas proteccionistas e dos efeitos da tecnologia. Por outro lado, se as medidas de estímulo a implementar pela administração do presidente norte-americano Donald Trump tiverem sucesso no actual ambiente de baixas taxas de desemprego, os salários poderão reflectir esse efeito rapidamente para cima.


"Estou muito confundido. Estamos a viver num mundo bipolar," afirmou Fink, que reconheceu haver uma grande probabilidade de os juros da dívida norte-americana em mercado secundário se manterem abaixo dos 2% "e de termos uma mudança súbita considerável nos mercados", já que só em 2018 é que se espera que o Congresso possa pôr no terreno algumas das medidas da administração Trump.

No final do ano passado a empresa tinha sob gestão activos no valor de 5,1 biliões de dólares (4,76 biliões de euros) entre activos de renda fixa, acções, investimentos alternativos ou imobiliário.


A BlackRock tem estado particularmente activa nos últimos meses em Portugal junto de empresas cotadas no PSI-20, reforçando desde o início do ano na Jerónimo Martins, na Nos e no BCP – onde detém mais de 3% depois do aumento de capital – e desinvestindo nos CTT nos últimos dias.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
beachboy 08.02.2017

...lol...
...gerem para ter lucros no curto prazo...
...de preferência ganhar muto dinheiro com pouco trabalho...
...nada fazem para ter lucros no longo prazo...
...trabalhar muito e por muito tempo para assegurar ganhos no longo prazo - isso não, nem pensar...
...perguntem aos Alemães e Japoneses como é que se faz!...
...como é que se passa da aniquilação total até nº 1 mundial...
...não é com passes de mágica finaceira seguramente...
...mas com imensso trabalho de todos e com os ganhos repartidos equitativamente entre todos...
...veja-se a Toyota - nº mundial nos carros (nem sequer são bonitos - bem pelo contrário), mas boa qualidade...
...ou a Industria automóvel Alemã que tem no seu conjunto boa reputação...
...e por hoje chega...
...de sermão aos peixes...
...durmam bem...

Conselheiro de Trump 08.02.2017

A minha idade ja nao da para mergulhar fundo,no entanto:era de esperar que os paises desastrosos(perifericos) melhorassem com as medidas tomadas:oleo a metade do preco,juros dos emprestimos na tona da agua,em vez disso estao piores e ainda arrastaram os produtores petroliferos que nao param de gemer

pertinaz 08.02.2017

OS MERCADOS SEMPRE FORAM BIPOLARES

MAS DISFARÇAM QUANDO A ECONOMIA É CONTROLADA POR ALGUNS

O QUE SE PASSA É QUE DEIXOU DE HAVER CONTROLE... FMI, BANCO MUNDIAL, OCDE... TUDO À NORA

GOLDMAN SACHS EM FORÇA...

PORTUGAL AO FUNDO COM ESTE DESGOVERNO

Anónimo 08.02.2017

HAHAHA choque nos salários para cima HAHAHAH ... brincalhão ...

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub