Empresas CEO da Farfetch na lista dos 500 mais influentes da moda

CEO da Farfetch na lista dos 500 mais influentes da moda

José Neves, fundador e CEO da plataforma luso-britânica de artigos de luxo Farfetch, é um dos três portugueses que integra a lista das 500 pessoas que estão a influenciar a indústria da moda, segundo o site inglês The Business of Fashion.
CEO da Farfetch na lista dos 500 mais influentes da moda
José Neves é fundador e CEO da plataforma de moda de luxo Farfetch.
Ricardo Meireles/Sábado
Rui Neves 14 de setembro de 2017 às 14:01

Felipe Oliveira Baptista, director criativo da Lacoste, integrou, em 2013, a primeira edição da lista das "500 Personalidades Mais Influentes na Moda", um "ranking" promovido pelo site britânico The Business of Fashion.

 

Após três anos de ausência de portugueses desta lista, eis que a edição de 2017 revela três nomes de profissionais nacionais, entre os quais José Neves, fundador e CEO da plataforma de moda de luxo Farfetch, que ganhou esta nomeação na categoria Fashion 2.0.

 

Nascida em 2008, a Farfetch tem mais de 900 trabalhadores em Portugal e quer chegar ao fim do ano com 1.400 pessoas. Liderada por José Neves, a companhia passou a contar, desde Junho passado, com um novo accionista de referência - a JD.com, segunda maior empresa de comércio electrónico da China, que comprou uma participação na Farfetch no valor de 397 milhões de dólares (mais de 332 milhões de euros no câmbio actual).

 

Além de José Neves, também figuram na lista do The Business of Fashion, na categoria de designers, a dupla portuguesa Marta Marques e Paulo Almeida, da marca Marques’Almeida, que teve o seu momento alto a nível internacional há dois anos, quando ganhou o prémio LVMH, grupo detentor de marcas como a Louis Vuitton e a Dior, tendo então beneficiado de uma gratificação de 300 mil euros e acompanhamento especializado para desenvolvimento da marca durante um ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub