Banca & Finanças CEO da maior seguradora norte-americana vai abandonar cargo após prejuízos

CEO da maior seguradora norte-americana vai abandonar cargo após prejuízos

O CEO AIG, maior seguradora norte-americana, vai abandonar a liderança após a companhia ter registado em seis trimestres, quatro de prejuízos. Peter Hancock apenas deixará a liderança da seguradora quando o seu sucessor for encontrado.
CEO da maior seguradora norte-americana vai abandonar cargo após prejuízos
Reuters
Ana Laranjeiro 09 de março de 2017 às 15:28

Peter Hancock, CEO da American International Group (AIG), vai abandonar o cargo depois de a seguradora ter registado em seis trimestres, quatro de perdas. Contudo, em comunicado, citado pela Bloomberg, a AIG sinaliza que Hancock vai manter-se em funções até que um sucessor seja nomeado. O sucessor de Hancock vai ser o sétimo líder que a AIG terá desde 2005.

Depois do encontro desta quarta-feira, 8 de Março, em que foi feito um balanço do desempenho anual da seguradora, a administração deliberou que vai proceder a uma busca ampla por um novo líder para aquela que é a maior seguradora norte-americana, esclarece o documento emitido esta quinta-feira, 9 de Março.


"Sem o apoio sincero dos accionistas na minha liderança, um longo período de incerteza podia ter enfraquecido o progresso que fizemos e prejudicar os interesses dos nossos segurados, empregados, reguladores, detentores de dívida e accionistas", apontou em comunicado Peter Hancock.


Meyer Shields, analista da Keefe, Bruyette & Woods, numa nota aos clientes citada pela agência de informação financeira, esta decisão da administração da AIG de substituir Hancock é "significativamente positiva". "Claro que não há muitos candidatos com as capacidades necessárias para mudar a atitude desta companhia mundial turbulenta, mas várias" operações bem-sucedidas ocorreram neste sector.


As acções da AIG sobem 1,45% para 64,36 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub