Transportes CEO pede desculpa pelos “erros” da Uber

CEO pede desculpa pelos “erros” da Uber

Numa carta aberta, Dara Khosrowshahi reconhece que a Uber errou e mostra-se disponível para trabalhar com as autoridades dos transportes de Londres para escrever "um novo capítulo" para a tecnológica.
CEO pede desculpa pelos “erros” da Uber
Reuters
Wilson Ledo 26 de setembro de 2017 às 13:09

O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, pediu desculpa esta segunda-feira, 25 de Setembro, pelos "erros" que a plataforma de transporte protagonizou. A declaração foi feita numa carta aberta, que surge depois de a Uber ter perdido a licença para operar em Londres.

"Ao mesmo tempo que a Uber revolucionou a forma como as pessoas se movem nas cidades de todo o mundo, é igualmente verdade que existiram coisas erradas ao longo do caminho. Em nome de todos na Uber, a nível global, peço desculpa pelos erros cometidos", afirmou o líder da Uber, que assumiu o cargo há cerca de um mês, vindo da Expedia.


Na semana passada, o regulador dos transportes da cidade de Londres decidiu revogar a licença atribuída à Uber. O fim da mesma a 30 de Setembro pode colocar em causa o serviço aos mais de 3,5 milhões de clientes da empresa em Londres, bem como aos cerca de 40 mil condutores. 


Em comunicado, a Transport for London (TfL) justificou a decisão com a conduta da empresa, que "demonstra falta de responsabilidade empresarial". A plataforma já se mostrou, entretanto, disponível para fazer concessões e, deste modo, manter a licença.


"Vamos contestar essa decisão em nome de milhões de londrinos. Mas fazemos tal sabendo que também nós devemos mudar. Como novo CEO da Uber, o meu trabalho é ajudar a Uber a escrever o seu próximo capítulo", acrescentou na missiva.


Dara Khosrowshahi
comprometeu-se ainda a trabalhar directamente com o regulador dos transportes londrinos para "fazer as coisas bem".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Com tantas desculpas, por tantos "erros", começam a parecer um bando de amadores...

pub
pub
pub
pub