Energia Cepsa investe 20 milhões para vender gás de garrafa em Portugal

Cepsa investe 20 milhões para vender gás de garrafa em Portugal

A petrolífera espanhola pretende atingir os 24% de quota de mercado em Portugal, à semelhança do que acontece em Espanha.
Cepsa investe 20 milhões para vender gás de garrafa em Portugal
Bruno Simão/Negócios
André Cabrita-Mendes 26 de outubro de 2017 às 11:58

A Cepsa já começou a vender gás de botija em Portugal. As primeiras botijas da empresa espanhola foram vendidas durante o mês de Setembro em algumas zonas do país.

A petrolífera pretende investir um total de 20 milhões de euros para entrar no mercado português, como o Negócios avançou em primeira mão em Maio.

 

"Os nossos objectivos são ter em Portugal a mesma quota de mercado que temos no mercado espanhol. Isto não se faz de imediato, são anos de trabalho, mas pensamos que no futuro podemos obter uma quota de mercado na ordem dos 23%-24%, tal como em Espanha", disse o presidente da unidade de gás da Cepsa, Filipe Henriques (na foto), esta quinta-feira, 26 de Outubro.

"Começámos na zona do Porto, Santarém, e estamos também na zona de Lisboa. Estamos a negociar com novos distribuidores e vamos começar rapidamente em Setúbal e pensamos que em zonas do Norte do país vamos começar a distribuir no início do próximo ano", explicou Filipe Henriques à margem de um evento da Cepsa que decorreu em Lisboa.

A maioria dos 20 milhões de euros são para comprar garrafas de gás, adianta a empresa, sendo que o enchimento das garrafas vai ser feito em Espanha, nas infra-estruturas da Cepsa.

Questionado sobre o facto da Galp dominar as vendas de botijas no mercado português, a Cepsa disse estar habituada a competir com empresas fortes, como a Repsol em Espanha.

"Estamos habituados a concorrer com incumbentes muito fortes, se vocês repararem estamos a concorrer com uma empresa que herdou todos os activos do monopólio, onde tinha 100% do mercado", afirmou, lembrando que atingiram 23-24% do mercado espanhol em menos de 20 anos.

A estratégia da Cepsa passa por vender o gás engarrafado nos seus 260 postos de combustível, mas recorrendo também a revendedores para chegar a mais clientes. O mercado português conta com 2,6 milhões de consumidores de gás engarrafado.

A Cepsa entrou assim entrar num mercado que é dominado pela Galp com uma quota acima de 50%. Seguem-se a Repsol e a Rubis no pódio, com o mercado a contar com empresas como a Prio ou a Oz. Em Portugal, existem 50 mil postos de venda de gás de garrafa, sendo vendidas 25 milhões de botijas anualmente.

Apesar de ser consumido por dois terços dos portugueses, o preço do gás de botija é duas vezes superior ao do gás natural, segundo a Deco, concluindo que o preço da botija duplicou nos últimos 15 anos.Começamos na zona do Porto, Santarém, e estamos também na zona de Lisboa




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Johnny Há 3 semanas

Tenho o sistema de gás canalizado completamente desativado.
Pagar a um cão para "inspecionar a rede" por 100 euros ?
Pagar "aluguer de contador à galp" ???
IDE MAMAR NA 5º PATA SEUS CÃES !
Gasto uma botijinha de 2 em 2 meses e chega muito bem

pub