Banca & Finanças CGD procura recuperar fábrica da Artlant em Sines

CGD procura recuperar fábrica da Artlant em Sines

O banco público está a tentar viabilizar a unidade industrial que pertencia à La Seda e que se tornou na sua principal devedora.
A carregar o vídeo ...
Diogo Cavaleiro 01 de agosto de 2017 às 21:37
A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está a liderar o processo em que tenta viabilizar a fábrica que a Artlant, em insolvência, tem em Sines. Tendo chegado a estar exposto em 520 milhões de euros, montante já totalmente reconhecido como perdido, o banco procura, a par da AICEP, uma solução para a infra-estrutura da indústria petroquímica. 

Na conferência de imprensa da semana passada, o presidente da instituição financeira, Paulo Macedo, não se estendeu sobre a situação, assegurando que a exposição está reduzida "a zero" e que espera desenvolvimentos no caso.

A dívida de 520 milhões de euros que a CGD reclamava em 2015 (75% do total), no âmbito do Processo Especial de Revitalização (PER), estava garantida pelo penhor das acções da Artlant e a hipoteca sobre a superfície e o equipamento. Na prática, a Caixa tinha – e tem – a palavra final. Isso mesmo é admitido, oficialmente, pela AICEP, que diz estar a acompanhar "os recentes desenvolvimentos, liderados pela CGD".

A AICEP reclamou, no PER de 2015, 33 milhões de euros à Artlant. "O crédito da AICEP resulta do contrato de investimento assinado com a empresa", indica a assessoria de imprensa da agência. O projecto recebeu do Governo de José Sócrates o estatuto de projecto de potencial interesse nacional (PIN) em 2005. Contudo, houve dificuldades para executá-lo, e em 2015 veio o PER. O plano falhou e a Artlant entrou em insolvência, a pedido de um credor, na semana passada.

"A AICEP mantém-se empenhada, agora no quadro do processo de insolvência, em trabalhar em conjunto com a CGD para encontrar uma solução que permita a continuidade e viabilidade da operação da fábrica, inactiva desde Outubro de 2015", indica a mesma fonte.  A assembleia de credores está agendada para 19 de Setembro.

As opções passam por procurar interessados em entrar na fábrica, que tem a infra-estrutura montada. A unidade, que pertencia à La Seda, produz ácido tereftálico purificado (PTA), matéria-prima nos têxteis e  embalagens.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso 01.08.2017

Tenham juizo!Conhecem alguma coisa do mercado de petroquimicos-plásticos?

comentários mais recentes
Anónimo 03.08.2017

conheço essa indústria desde o pré-arranque ao arranque

Anónimo 02.08.2017

Qual é principal profissão dos deputados? são advogados, não é verdade? antes de virem a exercer qualquer cargo num gabinete juridico eles têm que semear e aproveitam a AR para prepararem o futuro deles.
Todos sabem quem fez merd@ e sabem que se forem chamados para os defenderem ficam ricos, é simp

Anónimo 02.08.2017

SR MACEDO,
EXCLUINDO OS AUMENTOS NAS DESPESAS DE MANUTENÇÃO DOS DEPOSITANTES, AINDA NÃO VI NADA DA SUA PARTE QUE JUSTIFIQUE A FAMA QUE TEM DE HOMEM DE ACÇÃO!

Camponio da beira 02.08.2017

Ponham o Passos a administrar aquilo, já vem com experiencia de Tecnoforma.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub