Banca & Finanças CGD: PS salienta que prejuízos são "abaixo do previsto" e não afectarão recapitalização

CGD: PS salienta que prejuízos são "abaixo do previsto" e não afectarão recapitalização

O PS considerou hoje que o prejuízo da CGD, próximo de dois mil milhões de euros, é elevado mas "bastante abaixo" do previsto, garantindo que o processo de recapitalização avançará com os montantes previstos.
CGD: PS salienta que prejuízos são "abaixo do previsto" e não afectarão recapitalização
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 10 de março de 2017 às 13:01

Em declarações aos jornalistas no parlamento, o vice-presidente da bancada do PS João Paulo Correia comentava os valores avançados pela imprensa desde quinta-feira e que serão hoje oficialmente apresentados pela Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos (CGD) pelas 17:30.

 

"É um valor elevado mas é um valor bastante abaixo do que era o prejuízo previsto para a CGD em 2016, que era de três mil milhões de euros", salientou o deputado socialista.

 

Questionado se estes prejuízos afectarão de alguma forma o processo de recapitalização em curso no banco público, o vice da bancada socialista salientou que "a proposta do governo em Bruxelas, e que foi aprovada pelas instâncias europeias, contemplava um registo de imparidades e nível de prejuízo acima" do que é agora conhecido.

 

"Neste momento, o que podemos dizer é que o processo de recapitalização vai continuar nos valores que foram apresentados e aprovados em Bruxelas", assegurou João Paulo Correia.

 

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.03.2017

A CGD irá voltar ao lucro e ajudar os Contribuintes via Estado, como sempre fez durante muitos e longos anos de existência e está a fazer neste momento.

Anónimo 10.03.2017

Só boas notícias. O cenário é deslumbrante para Portugal.

O roubo continua 10.03.2017

E lá vão mais 5 mil milhões dos impostos pagos pelos trabalhadores para encher esses xulos. Com gestores a receberem 30.000 € por mês era de esperar. Claro que ainda não chegamos ao fim deste roubo.

Anónimo 10.03.2017

Mentira!!!! Foram separados para não dar cabo do déficit deste ano!
E a pergunta agora é: Irá a UE aceitar?
E: Querem afastar o Presidente do Banco de Portugal para esconder o estado do Montepio?

pub