Banca & Finanças Chairman do Novo Banco será o inglês Byron Haynes

Chairman do Novo Banco será o inglês Byron Haynes

De acordo com o Eco, a Hayes juntam-se ainda três outros elementos vindos da Lone Star, que até dia 20 deverão assumir as rédeas do banco herdeiro dos activos saudáveis do BES.
Chairman do Novo Banco será o inglês Byron Haynes
LinkedIn
Negócios 09 de outubro de 2017 às 22:19
O novo órgão a criar no Novo Banco em substituição do conselho de administração, o conselho geral de supervisão, será liderado pelo inglês Byron Haynes, avança o Eco.

Segundo aquele jornal digital, além de indicar Haynes, o novo dono do banco - a Lone Star – escolheu ainda o seu número dois na Europa para integrar o conselho, Donald Quintin, a que se juntam Benjamin Dickgiesser e Kambiz Nourbakhsh.

Haynes passou pelo banco holandês ABN Ambro Bank e pelo austríaco BAWAG (onde esteve até Abril deste ano), tendo nos primeiros anos da sua carreira passado pela KPMG. 

Já Quintin esteve no Merryl Lynch, passando para a Lone Star em 2010. Segundo a publicação American Banker, foi Quintin quem intermediou a venda por aquele banco de 31 mil milhões de títulos garantidos por créditos hipotecários à Lone Star. 

Dickgiesser, analista do Citi entre 2007 e 2008, entrou na Lone Star em Janeiro de 2009. Lidera as aquisições do fundo na Europa, sendo ainda membro do conselho de supervisão do IKB Deutsche Industriebank.

Nourbakhsh, que tem no seu perfil do LinkedIn uma referência como vice-presidente do Goldman Sachs, é director geral na Lone Star Europe desde 2014. Esteve ainda três anos no Mount Kellett Capital, um híbrido de a "private equity" e "hedge fund" especializado em investimentos em "buyouts", dívida problemática, reestruturações e investimento oportunista. 

Todos estes nomes terão agora de merecer luz verde do Banco Central Europeu (BCE).

Ontem o comentador televisivo Luís Marques Mendes tinha avançado na SIC que não haveria portugueses no conselho de administração do banco: "Se algum português estava à espera de ir para aquele lugar, perdeu a oportunidade," acrescentou.

Já a comissão executiva do banco que há três anos sucedeu ao Banco Espírito Santo não contará com membros estrangeiros, sendo assim todos os membros de nacionalidade portuguesa. "Basicamente [a comissão executiva] é a actual. António Ramalho tem feito um bom lugar," afirma sobre o actual presidente do banco.

(Notícia actualizada às 23:09 com mais informação)



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ricardo Há 1 semana

Pesos pesados. Estes não andam a brincar.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub