Energia Chineses da EDP disponibilizam mais 15,56% da empresa em bolsa

Chineses da EDP disponibilizam mais 15,56% da empresa em bolsa

Os títulos que devem ser admitidos à negociação na próxima terça-feira, dia 27, não estavam ainda a negociar em bolsa devido ao período de indisponibilidade de quatro anos, estabelecido aquando da reprivatização.
Chineses da EDP disponibilizam mais 15,56% da empresa em bolsa
Paulo Zacarias Gomes 23 de dezembro de 2016 às 18:52

Parte das acções compradas pela China Three Gorges aquando da operação de reprivatização da EDP, até aqui sujeitas a indisponibilidade, vão ser admitidas à negociação a partir da próxima terça-feira.


O anúncio foi feito esta sexta-feira, 23 de Dezembro, em comunicado enviado pela energética à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Em causa estão 568.797.735 acções, no valor unitário de um euro, representativas de cerca de 15,56% da empresa.


Estes títulos, segundo explica o prospecto, estão incluídos no pacote de 21,35% de capital da energética (780.633.782 acções) comprados pelo grupo chinês cujo chairman é Lu Chun (à direita, com o CEO da EDP, António Mexia), mas não estavam admitidos à negociação "por pertencerem a uma categoria especial que englobava as acções detidas por entes públicos".


O período de indisponibilidade a que estavam sujeitas terminou a 11 de Maio deste ano, quatro anos depois da data da conclusão da venda, tendo-se procedido entretanto à alteração da categoria dos títulos.


"Na sequência da referida alienação e concomitante alteração de categoria, e nos termos do disposto nos artigos 227.º e seguintes do Código dos Valores Mobiliários, dos quais resulta que as acções da mesma categoria devem estar todas admitidas a negociação, são agora admitidas à negociação as referidas 568.797.735 acções representativas de cerca de 15,56% do capital social da EDP e dos direitos de voto da EDP," refere o comunicado.


O prospecto acrescenta que a Euronext, que gere a bolsa portuguesa, aprovou o pedido de admissão das acções no mercado regulamentado Euronext Lisbon, "as quais se espera serem admitidas no dia 27 de Dezembro de 2016."


A EDP encerrou a sessão desta sexta-feira a valorizar 0,7% para 2,89 euros. 




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Entalado 24.12.2016

O período de indisponibilidade termina dia 26 de Dezembro, nunca pensei é que os chineses estivessem de saída para ter capital para mais uma negociata no Novo Banco. Fiquei entalado segunda ninguém quer edp a mais de 1 euro.

Igor 24.12.2016

"O período de indisponibilidade a que estavam sujeitas terminou a 11 de Maio deste ano!"O preço na aquel dia era 3.112 e nada aconteseu))

Anónimo 24.12.2016

O preço de compra em 2011, foi de 3,45 . Os comentários são tão ridiculos e ignorantes, que nem merecem comentários, mas Deus perdoa que é época natalicia. Para quem acha que os chineses se vão desfazer de ações a perderem dinheiro e ainda por cima remunerados a 6% ao ano, é gente estupida!

Lopes 24.12.2016

Portugal està a ser vendido à Repùblica Comunista Chinesa e dentro de alguns anos não seremos mais que uma colonia ... não sei se os politicos portugueses tem a noção que na China este tipo de empresas privadas é de "palha" é tudo gerido pelo Governo Central a ideia é "dominar para melhor reinar"

ver mais comentários
pub